PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro: Jogador brasileiro com o papel de Casemiro não é tão valorizado aqui

Do UOL, em São Paulo

15/04/2021 12h00

Classificação e Jogos

O volante brasileiro Casemiro mais uma vez teve participação importante pelo Real Madrid no confronto com o Liverpool e a classificação para as semifinais da Liga dos Campeões, podendo levar o clube a mais uma final europeia e formando um trio que é uma das bases da equipe ao lado de Luka Modric e Toni Kroos.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte com os jornalistas Julio Gomes, Mauro Cezar Pereira e Rafael Oliveira, a importância do jogador brasileiro para o Real Madrid é analisada por Mauro, que vê o torcedor no Brasil não valorizando tanto um jogador que faz a função de Casemiro, preferindo dribladores e goleadores.

"Não sei se é preconceito, eu acho que aqui no Brasil, o jogador brasileiro que vai lá para fora e que faz jogadas mais espetaculares, ele rapidamente vira uma unanimidade, o jogador que tem um papel diferente em campo, por mais que ele seja muito constante e jogue muito bem, acaba não sendo acho que tão valorizado", diz Mauro Cezar.

"Passa mais por aí, aqui gente dá muito valor para jogadores mais espetaculares, dribladores, goleadores. Você vê, por exemplo o caso com o Thiago Silva. Eu acho que o Thiago Silva já era visto lá fora como um zagueiro muito acima da média antes de ser visto aqui no Brasil e hoje aqui no Brasil, até hoje tem muita gente que fala que é só um chorão. O cara joga muito, é ótimo zagueiro e não, 'é chorão'. O cara recorta aquele momento da Copa do Mundo, põe um rótulo e isso é muito comum aqui no país", completa.

O jornalista cita o período de Casemiro no São Paulo e o pouco aproveitamento do jogador pelo clube brasileiro também como um possível complicador em relação ao torcedor são-paulino.

"Talvez alguns torcedores do São Paulo tenham alguma coisa mal resolvida, porque foi um jogador que o São Paulo não soube fazer a transição da base para o profissional e aproveitar minimamente. Ele saiu daqui meio que 'ah, esse cara não vai dar em nada'. Acho que é um grande mau exemplo de como os jogadores sobrem muitas vezes de forma equivocada para o time profissional, a transição é mal feita e você às vezes desperdiça um grande talento", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol