PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Árbitro que urinou em jogo da Copa do Brasil tem incontinência, diz ANAF

Árbitro faz xixi dentro de campo na Copa do Brasil - Transmissão Premiere
Árbitro faz xixi dentro de campo na Copa do Brasil Imagem: Transmissão Premiere

Bruno Fernandes e Josué Seixas

Colaboração para o UOL, em Maceió (AL)

12/03/2021 11h38

A Associação Nacional de Árbitros de Futebol (ANAF) se manifestou, na manhã desta sexta-feira (12), sobre o caso envolvendo o árbitro Dênis da Silva Ribeiro Serafim, da Federação Alagoana de Futebol (FAF). Na última quinta-feira, o árbitro foi flagrado urinando em campo durante a partida entre Boavista x Goiás, válida pela Copa do Brasil.

O caso logo tomou conta das redes sociais, e os internautas ficaram na dúvida sobre o que teria acontecido de fato. De acordo com a ANAF, o árbitro teve sua boa atuação ofuscada "por uma situação extremamente incômoda para quem, assim como ele, tem incontinência urinária".

A justificativa apresentada pela ANAF é que o árbitro esqueceu de tomar a sua medicação antes da partida e, por isso, foi obrigado a urinar em campo.

A entidade pediu, ainda, que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tivesse discernimento na avaliação do caso, já que Dênis "é um árbitro experiente, de qualidade técnica reconhecida e não merece receber qualquer tipo de punição na esfera desportiva", visto que a condenação pública e das redes sociais veio em grande volume nas últimas horas.

A reportagem tentou contato com o árbitro, mas Dênis da Silva Ribeiro Serafim não respondeu às mensagens nem atendeu às ligações até o fechamento da notícia.

Confira a nota da ANAF:

As redes sociais são implacáveis. Condenam, difamam e transformam em chacota sem ao menos dar oportunidade de "defesa" à vítima. Posturas que a @anaf.brasil não só repudia como combate. A entidade vem a público prestar solidariedade ao árbitro Dênis da Silva Ribeiro. A sua boa atuação em Boavista x Goiás, na noite da última quinta-feira pela Copa do Brasil, terminou ofuscada por uma situação extremamente incômoda para quem, assim como ele, tem incontinência urinária. No Brasil, cerca de 10 milhões* de pessoas são acometidas por essa doença. Dênis não havia tomado o remédio antes da partida e, por isso, acabou passando por esse constrangimento flagrado pelas câmeras de TV. Pedimos empatia à sociedade e discernimento à CNA da @cbf_futebol para avaliar esse caso. Dênis é um árbitro experiente, de qualidade técnica reconhecida e não merece receber qualquer tipo de punição na esfera desportiva. Já basta a condenação pública e equivocada das redes sociais nas últimas horas.

Salmo Valentim

Presidente da ANAF

Futebol