PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Mancini elogia garotos, mas pede calma com o Corinthians versão 2021

Do UOL, em São Paulo

28/02/2021 21h49

Classificação e Jogos

O Corinthians está em reformulação e é necessário tempo para que a equipe consiga adquirir entrosamento. Essa foi a mensagem deixada pelo técnico Vagner Mancini após o empate, em 0 a 0, com o Red Bull Bragantino na rodada de abertura do Campeonato Paulista. O comandante do Timão elogiou os garotos da base, mas pediu paciência com sua equipe.

Na visão do treinador, o Corinthians não foi tão bem como deveria no duelo em Bragança Paulista. Apesar disto, Mancini reconheceu o cansaço do elenco após o término do Brasileirão e a necessidade de adaptar os jovens vindos da base durante os treinos no CT Joaquim Grava. Hoje, a comissão técnica promoveu as estreias dos atacantes Cauê e Rodrigo Varanda.

"É necessário que tenha uma mescla de experiência e organização com os jovens que vão chegar. Hoje vi o Rodrigo muito bem, vi o Cauê também muito bem e isso abre uma perspectiva interessante. O Cauê mostrou que pode ser muito útil. Fico feliz porque abre uma possibilidade grande de alterar a equipe", afirmou Mancini.

"A equipe errou muitos passes e isso acabou me irritando. Tínhamos uma estratégia e, a partir do momento, em que eu fizesse as substituições mudaríamos o estilo de jogo. Por isso esperei um pouco mais para que não tivéssemos um choque e jogássemos de uma outra maneira sem tempo de treinamento. Os atletas que saíram ainda tiveram ontem a experiência de treino. O Gustavo Mosquito veio de lesão e ainda sentiu em um lance dentro de campo, assim como o Gabriel Pereira e o Cauê. É necessário que neste momento de transição todos tenhamos calma. É necessário fazer a reformulação, mas pensando para que a equipe não fique desorganizada", explicou o comandante do Timão ao ser questionado sobre suas decisões no segundo tempo.

O Corinthians passa por um processo complexo de reformulação interna. Endividado e sem dinheiro em caixa para fazer grandes contratações no mercado, o clube aposta nos garotos da base e também no enxugamento da folha salarial do elenco para voltar a ser competitivo e protagonista no cenário nacional.

Enquanto vive esse processo e constrói o time para a temporada 2021, o Corinthians tem jogos importantes pela frente. Na próxima quarta, às 19h (horário de Brasília), a equipe recebe o Palmeiras, na Neo Química Arena, pela 2ª rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista. A tendência é de que Mancini volte a dar oportunidades para alguns nomes na base.

Confira outros trechos da entrevista coletiva do treinador do Corinthians:

Sobre a performance de Rodrigo Varanda

"A decisão foi tomada a partir do momento em que analisamos muito o último mês de treinamento. O Rodrigo já está com a gente há um certo tempo. É um atleta que vinha se destacando na base e, por isso, fizemos com que ele fizesse parte do último mês de treinamento. Ele veio evoluindo muito bem, apenas não foi utilizado no Brasileiro porque não estava inscrito. Fez apenas um treino com os demais jogadores e, nesse sentido, fez um bom jogo. Entendeu e teve uma leitura bacana da partida. Óbvio que cansou, mas tenho certeza que vai dar uma ótima ajuda dentro do nosso elenco nesta temporada".

Sobre a construção de uma equipe com um 'espírito de Corinthians'

"Não tenho dúvida de que estamos todos desgastados. Não só o Corinthians, mas também o Bragantino e outras equipes. O jogo foi extremamente jogado, com as duas equipes adiantas, mas no segundo foi um jogo mais brigado porque o cansaço vai batendo e você começa a perder um pouquinho da concentração e errar mais passes. Acho que a 'cara Corinthians' ainda não está definida para este jogo, fizemos apenas um jogo com muita gente nova na equipe. Isso vai ser construído. Por isso que na última entrevista eu disse que iríamos reconstruir o time, mas isto leva um pouco de tempo. Todos demonstraram aquilo que a gente vem batendo na tecla que é a alma da equipe do Corinthians. Já vi diferente contra o Inter, e hoje também. O Corinthians brigou muito e nesse sentido acho que estamos no caminho certo".

Sobre a ineficiência do ataque

"Me incomoda. Hoje tivemos algumas oportunidades no primeiro tempo, poucas no segundo e isso necessita de ajustes. Por outro lado, a equipe não sofre gols há três jogos. Estamos reorganizando a parte defensiva, sabemos que para reconstruir uma equipe é necessário parar de tomar gols antes de voltar a fazê-los. Estamos em transição e os ajustes vão acontecer na hora certa'.

Sobre as situações de João Victor (retorna de empréstimo) e Janderson (permanece emprestado ao Atlético-GO)

"Ambos jogaram ontem e por isso não se apresentaram. O João volta porque pode fazer várias funções em campo. Sobre o Janderson entendemos que seria melhor que ele continuasse no Atlético para que ele tenha mais oportunidades de se desenvolver. Teve oportunidades comigo lá, e hoje está muito mais valorizado. Se ele voltasse ao Corinthians teria de oscilar entre jogar algumas partidas e ficar no banco de reservas. Ele também entraria na nossa Lista A e, por isso, fizemos essa opção".

Sobre o empréstimo de Matheus Davó

"Realmente isso aconteceu (recusa do jogador em atuar pela equipe sub-23), assim como você viu na chamada do documentário. Não vou antecipar nada, mas foi logo depois da entrada do Davó, que ele teve a oportunidade, fez um gol diante do Internacional e jogou outras partidas. Vamos esperar o documentário porque vai ser tudo explicado. Não vou adiantar nenhuma informação para não ser leviano. Vamos aguardar e tudo será esclarecido".

Os garotos da base estão prontos para jogar um Dérbi?

"São peças do nosso elenco, não sei se no próximo jogo eles estarão entre os 11 titulares. O Cauê é uma opção muito interessante, e aos poucos vamos montar uma equipe que seja forte e que eles tenham oportunidade de participar das partidas".

Sobre expectativa para o Dérbi e a possibilidade de vingar goleada sofrida no Brasileirão

"Foi um jogo que nos marcou bastante. Tínhamos uma ascensão interessante no campeonato e ali a gente saiu chateado. Nós temos a oportunidade de novamente enfrentar o Palmeiras, que é um rival. Vamos fazer de tudo para que a história seja diferente, você não tenha dúvidas disso. O jogo já começou e, independentemente de qual equipe vai ser escalada por eles, temos a obrigação de fazer uma grande partida".

Corinthians