PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Atlético derrapa em decisões fora de casa e se afasta de briga por título

Sampaoli luta para tentar dar mais contundência ao Galo, que tem dificuldade de emplacar sequência de vitórias no Brasileirão - Bruno Cantini/Atlético-MG
Sampaoli luta para tentar dar mais contundência ao Galo, que tem dificuldade de emplacar sequência de vitórias no Brasileirão Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

24/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

A derrota do Atlético-MG para o Vasco por 3 a 2 não estava nos planos da comissão técnica alvinegra e, além dos pontos desperdiçados diante de um adversário que luta contra o rebaixamento, o resultado na 32ª rodada impacta diretamente nas pretensões do clube no Campeonato Brasileiro.

Quarto colocado, o Galo desperdiçou mais uma chance de diminuir a distância de pontos para os rivais diretos, o que fez cair novamente as chances de título. O Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) aponta agora 11% de possibilidade de o Alvinegro colocar as mãos na taça do Brasileirão. Para a tristeza da torcida, que há 50 anos não comemora tal feito.

"Atrapalha muito [derrota para o Vasco]. Sabíamos que seria difícil, o time deles está lutando para sair lá de baixo, a gente brigando pelo título. Infelizmente, aconteceu a derrota, temos que levantar a cabeça e saber que não tem nada perdido ainda. Vamos lutar, trabalhar para conseguir vitórias e seguir em frente", garantiu o atacante Keno, que há nove jogos não sabe o que é fazer gols.

O time de Jorge Sampaoli não consegue emplacar mesmo com quase R$ 200 milhões de investimento e se mostra irregular há tempos. A maior sequência de vitórias do Atlético-MG sob o comando do argentino aconteceu no intervalo de 13/9 e 04/10, entre a 10ª e 13ª rodada, com quatro triunfos diretos ainda no primeiro turno. E o time, quando o assunto é jogar fora de casa, apresenta números pífios, o que derruba a campanha atleticana no torneio.

O Galo tem apenas o 11º desempenho entre os 20 da Série A longe de seus domínios. Em 16 jogos, ou seja, em 48 pontos disputados, a equipe de Sampaoli conquistou só 18 pontos, o que representa aproveitamento baixíssimo: 37,5%.

A equipe apresenta inconstâncias técnicas que impulsionam o time em uma queda na classificação. De um time que já foi líder, agora o risco de perder vaga no G4 aponta de vez. O Palmeiras com uma vitória iguala a pontuação atleticana e o Verdão também tem um jogo a menos como o próprio Galo.

Muleta

Assim como no primeiro turno, novamente um jogo atrasado vira "muleta" do Atlético-MG. É que aconteceu a mesma coisa quando o Galo ficou bastante tempo por jogar contra o Athletico-PR, na primeira metade da competição, imaginando que poderia somar pontos em casa e recuperar a liderança do Brasileiro à época. No entanto, o time preto e branco acabou perdendo por 2 a 0 e frustrando seus planos naquele momento.

O fato de ter um jogo a menos, já que a partida contra o Santos pela 28ª rodada foi remarcada — pela participação do Peixe na Copa Libertadores —, dá ao Atlético-MG mais uma vez a oportunidade de diminuir o prejuízo pelos dois jogos sem vitória em sequência — empatou com o Grêmio e perdeu para o Vasco.

Uma vitória em cima da equipe do litoral paulista, nesta terça-feira (26), às 20h, no Mineirão, colocaria o Atlético-MG com 57 pontos. Talvez um "afago" para o torcedor, que sente em cheio o baque pela falta de contundência da equipe nos momentos mais cruciais do campeonato.

"Eu vejo muita intensidade dos jogadores na área do rival, que fazem incomodar na finalização. Não creio que seja capricho e intensidade. É questão de contundência e claridade. Há que estar claro para definir jogadas e gerar em gol as chances que o time cria. Até agora, isso nos está custando bastante", lamentou Sampaoli após a derrota para o Vasco.