PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras: Weverton faz ídolo Marcos se tornar fã e vira "melhor do Brasil"

Weverton, minutos depois da classificação do Palmeiras para a final da Libertadores - Staff Images/Conmebol
Weverton, minutos depois da classificação do Palmeiras para a final da Libertadores Imagem: Staff Images/Conmebol

Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

14/01/2021 04h00

Classificação e Jogos

Quando conquistou o Brasileirão de 2018 pelo Palmeiras, Weverton tinha o sonho de conhecer Marcos, seu ídolo desde o início da carreira. Após as dez defesas que ajudaram a classificar o Verdão à final da Copa Libertadores, a relação mudou: foi o Santo quem se tornou o fã. Inclusive, reforçando a promessa de lhe entregar a aposentada camisa 12.

Weverton já se espelhava em Marcos antes mesmo de pensar em jogar no Palmeiras. A relação entre eles não era próxima, mas começou a ter interações públicas mais frequentes ao longo desta Libertadores. Na terça (12), os dois fizeram uma live no Instagram, na página de Marcos.

Campeão da Libertadores pelo Verdão em 1999 e eleito o craque do torneio, o pentacampeão mundial vive um momento de "passagem de bastão" na busca pelo bi. A ideia de dar a camisa que foi eternizada ao se aposentar foi crescendo ao longo da campanha, e Weverton ainda se mostra tímido para assumi-la.

A classificação no dia 12/1/21 rendeu uma brincadeira de Marcos nas suas redes sociais: "a 12 para o 1 que veste a 21! É um sinal? Que jogo, amigos!". Weverton usa a camisa 21 em competições nacionais, mas na Libertadores veste a 1 — como o antigo número de Marcos só pode ser usado por atletas de linha desde sua aposentadoria, Mayke é o dono da 12.

A relação agora mais próxima com seu ídolo mostra como a campanha nesta Libertadores tem feito Weverton ganhar relevância no Palmeiras, clube pelo qual já foi campeão paulista (2020) e brasileiro (2018). Na derrota por 2 a 0 para o River Plate (ARG), ele evitou o pior no Allianz Parque.

Weverton e Gallardo - Staff Images/Conmebol - Staff Images/Conmebol
Weverton recebe o abraço de Gallardo, técnico do River, após a classificação
Imagem: Staff Images/Conmebol

As dez defesas que realizou no jogo equivalem ao número de intervenções nos últimos quatro confrontos na Libertadores somados — a volta contra o Delfín, os duelos com o Libertad e a ida como River. Os dados são do SofaScore, site especializado em estatísticas.

Por isso, assim que acabou a partida e o Verdão confirmou a vaga na final, Weverton olhou para os céus e puxou o ar por alguns segundos antes de posar com o prêmio de melhor jogador da partida. O técnico Abel Ferreira lhe deu um abraço, assim como Marcelo Gallardo, comandante do River, reconhecendo a noite inspirada do arqueiro.

Nas redes sociais, o Palmeiras postou suas defesas com o seguinte comentário: "melhor goleiro do Brasil". Esta definição era vinculada a Fernando Prass nos últimos anos, e pela primeira vez o clube usou para Weverton, que segue a trajetória para se colocar junto dos ídolos como um dos goleiros mais relevantes da história do Verdão.

Palmeiras