PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro realizará terceira eleição no ano com bastidores em turbulência

Conselho do Cruzeiro escolherá novo presidente para triênio 2021/2023 - Igor Sales/Cruzeiro
Conselho do Cruzeiro escolherá novo presidente para triênio 2021/2023 Imagem: Igor Sales/Cruzeiro

Guilherme Piu

Do UOL, em Belo Horizonte

30/11/2020 04h00

Classificação e Jogos

Não bastasse ao Cruzeiro viver o pesadelo da Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro com o clube atolado em dívidas, a Raposa convive ainda com seus bastidores inflamados por mais um pleito eleitoral em sete meses. Hoje (30), os conselheiros cruzeirenses vão eleger os integrantes da Mesa Diretora que comandará o Conselho Deliberativo estrelado em um dos piores momentos da história da instituição. É a terceira eleição no clube desde maio, a segunda para o "legislativo azul".

Duas chapas foram inscritas para a eleição, a "Somos Todos Cruzeiro", encabeçada por Nagib Simões, que representa a situação, e a "Renovação e Transparência", que tem Giovanni Baroni, oposição ferrenha aos atuais dirigentes do Conselho. Os votos poderão ser colocados nas urnas entre 18h e 20h desta segunda-feira e quem vencer ocupará a cadeira presidencial no triênio 2021/2023.

Nagib Simões é o atual vice de Paulo Pedrosa, personagem que divide opiniões no clube e que comanda o Conselho Deliberativo desde junho deste ano. Nagib teve o nome escolhido pelo atual mandatário da pasta para perpetuar a situação na presidência, o que Baroni e apoiadores tentarão impedir.

Giovanni Baroni se candidatou na última eleição presidencial do Conselho Deliberativo e foi derrotado por Pedrosa, que se elegeu por apenas dez votos de diferença. À época, Baroni e outros candidatos derrotados disseram que se uniriam para concorrer novamente e tirar Pedrosa e seus aliados do cargo.

Pedrosa sofre muitas críticas não só por parte de Baroni e correligionários, mas, também, de torcedores. O dirigente integrou o Conselho Fiscal da Raposa durante a gestão de Wagner Pires de Sá, presidente retirado do cargo no fim de 2019 por gestão temerária.

Inclusive, o atual mandatário do Conselho chegou a dizer, ainda no antigo cargo — em 2019 —, que "não havia nada irregular" na gestão do ex-cartola, hoje acusado e processado na Justiça por práticas criminosas à frente da Raposa.

Outras eleições

Em 21 de maio deste ano o Cruzeiro passou pela primeira eleição na temporada. Nesse pleito, o atual presidente Sérgio Santos Rodrigues venceu o outro candidato, Ronaldo Granata, e foi eleito para comandar o clube no mandato tampão entre junho e dezembro, período que seria, ainda, de Wagner Pires de Sá. Entretanto, ele foi retirado do poder após protestos de torcedores e conselheiros por causa de graves denúncias nos bastidores celestes.

Em outubro uma nova eleição presidencial foi realizada, dessa vez para escolher o responsável por dirigir o clube no triênio 2021/2023. Sérgio Santos Rodrigues não teve adversário e foi aclamado para o cargo, tendo a responsabilidade de comandar o Cruzeiro no ano de seu centenário (1921), e de tentar devolver a Raposa à Série A.

Não fosse a pressão popular e dos próprios conselheiros haveria outra eleição ainda em 2020, uma promessa de campanha de Paulo Pedrosa. Seriam escolhidos cerca de 70 integrantes para ocupar o cargo de "nato", vaga vitalícia no Conselho Deliberativo. Após muitos protestos e a contrariedade de Sérgio Santos Rodrigues, essa votação foi adiada.

Cruzeiro