PUBLICIDADE
Topo

Futebol

José Trajano: "O VAR virou hoje o elemento mais importante do futebol"

Do UOL, em São Paulo

26/11/2020 01h33

Classificação e Jogos

Vitória do Palmeiras na Libertadores, do Corinthians e do Atlético-MG no Campeonato Brasileiro e o empate entre Ceará e São Paulo, com direito a uma nova polêmica com o VAR foram destaques dentro de campo em um dia em que o futebol chorou a morte de Diego Armando Maradona, assuntos que foram comentados no Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte, com os jornalistas Vinicius Mesquita, José Trajano, Débora Miranda e Danilo Lavieri.

Lembrando da genialidade de Maradona, Trajano lamentou o protagonismo assumido pelo VAR nas discussões do futebol e opinou contra o uso do sistema de revisão com vídeo para a arbitragem, afirmando que os jogadores estão sendo menos falados que as marcações confusas como no jogo entre Ceará e São Paulo, no Castelão.

"O VAR ganhando corpo e o VAR hoje é o elemento mais importante do futebol, o elemento mais importante não é o craque de um time, não é o técnico de um time, não é o artilheiro do time, não é o grande zagueiro, é o doutor VAR, o doutor VAR é que manda", afirma Trajano.

"Hoje nós tivemos a morte de um dos maiores gênios do futebol. Por que ele era um gênio do futebol? Era o talento, a grandiosidade, o pé esquerdo, jogadas maravilhosas, a gente não fala mais isso, nós estamos falando aqui do VAR, nós estamos falando dessa coisa da mão, da regra, isso é muito chato", completa.

Com um gol anulado do São Paulo depois de o árbitro ter permitido o reinício de jogo com o uso do VAR para validar uma jogada na qual havia impedimento, a arbitragem voltou atrás e ao final do jogo a direção do clube paulista sinalizou pedir a anulação do jogo, o que Danilo Lavieri afirmou ser muito difícil de ocorrer.

"A gente não precisa nem ir tão longe, teve um Botafogo e Palmeiras que teve algo parecido, não foi exatamente um gol anulado, mas o jogo tinha voltado e o juiz mandou voltar, ouviu e deu um pênalti e o Botafogo entrou na justiça para cancelar aquele jogo e não conseguiu", conta Danilo.

Eu conversei com especialistas em direito esportivo e eles basicamente cravam que não tem a menor chance de o São Paulo conseguir êxito caso entre na justiça, com base no precedente desse Botafogo e Palmeiras. Eu também apostaria nisso", completa.

Já sobre o futebol jogado, em um jogo sem grandes lances, o Corinthians conseguiu a vitória fora de casa contra o Coritiba para se afastar mais da zona de rebaixamento e afundar o time paranaense depois de um gol de pênalti de Fábio Santos, pênalti que também foi marcado com o auxílio do VAR. Para Débora Miranda, o Corinthians mostra evolução na defesa, mas o ataque ainda não convence.

"Acho que o ataque continua sendo a área mais delicada, mais vulnerável e sem muito resultado, é onde ele [Vagner Mancini] mais muda, todo jogo ele muda. Ele insistiu muito no Jô e o Jô não fez nada no jogo, o Jô não conseguiu criar nada, totalmente sem ritmo, e ele Ana trocou, deixou o Jô até o fim, o Davó que vinha sendo um investimento dele não entrou em nenhum momento", analisa Débora.

Acho que ainda falta muito e o que acontece? Depois que o Corinthians faz um gol, conseguiu fazer nesse pênalti, e depois não faz mais nada. A defesa está muito bem articulada, gostei muito do Gabriel, acho que faz uma dupla muito boa com o Xavier. Do meio para trás está bem organizado, mas para a frente não vem nada", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado na próxima semana após a rodada com jogos decisivos pelas oitavas de final da Libertadores e também do Campeonato Brasileiro.

Futebol