PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ricardo Rocha: Elenco do Palmeiras não é mais forte que dois anos atrás

Do UOL, em São Paulo

30/10/2020 04h00

Com um dos elencos mais caros do futebol brasileiro nos últimos anos, o Palmeiras tem na atual temporada o aproveitamento de mais jogadores das categorias de base e apenas duas contratações, com as chegadas de Rony e Viña. Enquanto revelações do clube ganham moral com a torcida e deixam a marca em vitórias como a de ontem, pela Copa do Brasil, com 3 a 1 sobre o Red Bull Bragantino, atletas que chegaram como contratações de peso nos anos anteriores são criticados.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte, apresentado por Luiza Oliveira e com os comentários de Mauro Beting, Ricardo Rocha e Thiago Ferri, o ex-jogador analisa os jogadores atuais do elenco palmeirense, cobra o uso mais frequente da base em vez de contratações e diz que o grupo de atletas do Palmeiras atual não é do mesmo nível das últimas temporadas.

"O Palmeiras fez ótimas contratações até esses jogadores jogarem, porque todo mundo falava desses jogadores, 'vai arrebentar'. E te digo mais, o elenco do Palmeiras desse ano não é mais forte do que dois anos atrás, não, há dois, três anos, o Palmeiras tinha elenco muito mai forte, mas eu espero um Palmeiras melhor", afirma o ex-zagueiro.

O ex-atleta elogia jogadores como Wesley e questiona a necessidade de ter ido ao mercado para contratar atacantes que jogam pelos lados como Rony tendo opções nas categorias de base, citando os exemplos de clubes como River Plate e Boca Juniors no aproveitamento de jovens talentos.

"Nesses últimos meses quem tem jogado muito são os garotos quando precisa. Esse Wesley é um baita jogador, é um atacante rápido, velocidade, faz gols, busca o contra-ataque, volta na marcação, então eu acho que a garotada está sendo muito eficiente no futebol brasileiro. A gente está falando muito em contratações, e isso me irrita também, fora, 'vamos buscar jogadores fora', eu acho que não tem que buscar, não, eu acho que dentro de casa o Palmeiras tem uma base forte", diz Ricardo Rocha.

"O River faz muito bem isso, o Boca faz muito bem isso antes de contratar, então eu acho que essa garotada que está vindo é muito forte, agora, esses jogadores [que foram contratados nos últimos anos] eu acho que têm que melhorar muito. São dois, três anos de casa e realmente não têm um reconhecimento do seu futebol por parte da torcida, da imprensa, porque eles não demonstraram isso dentro de campo, eles precisam render muito mais", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado na próxima semana após os jogos de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, com Flamengo, Corinthians, Palmeiras, Santos, Grêmio e Internacional decidindo a classificação.

Futebol