PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Deputado que 'prometeu' Cruzeiro na Série A anuncia saída do clube

Deputado Léo Portela anunciou saída do cargo de superintendente do Cruzeiro - Arquivo Pessoal/Léo Portela
Deputado Léo Portela anunciou saída do cargo de superintendente do Cruzeiro Imagem: Arquivo Pessoal/Léo Portela

Do UOL, em Belo Horizonte

15/10/2020 13h03

Classificação e Jogos

A diretoria do Cruzeiro sofreu uma baixa nesta quinta-feira. O deputado estadual Léo Portela anunciou o seu desligamento do cargo de superintendente de relações institucionais e governamentais do clube. O anúncio foi feito pelo próprio parlamentar e agora ex-dirigente em sua conta particular no Twitter.

"(...) encerro meu ciclo. Foram pouco mais de 100 dias, nos quais trabalhando com as autoridades, também garantimos o indiciamento de Wagner Pires, Itair Machado e cia. Agradeço ao amigo Sérgio Santos Rodrigues pela confiança. Prosseguirei defendendo o Palestra Estrelado na ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais)", publicou.

Portela deixa o Cruzeiro antes mesmo de uma promessa feita por ele ter condições de ser cumprida. É que no dia 9 de julho deste ano, também em sua conta particular no Twitter, o parlamentar disse que no dia do centenário cruzeirense, a ser comemorado no dia 2 de janeiro do ano que vem, o clube já estaria garantido de volta à Série A do Campeonato Brasileiro.

"Quando o Cruzeiro comemorar o centenário já estaremos garantidos na Série A. Favoritem", escreveu na rede social.

Apesar das palavras positivas, atualmente o Cruzeiro é o penúltimo colocado na Série B do Campeonato Brasileiro, muito distante do sonho de acesso, como previsto por Portela.

Trabalho

Na sequência de postagens em que anunciou sua saída do clube, Léo Portela disse ainda que havia cumprido sua ultima missão: a ajuda para a aprovação do Projeto de Lei 2824/2020, sancionado pelo presidente da República Jair Bolsonaro. Essa Lei era tida como uma "salvação" para os clubes endividados, caso do próprio Cruzeiro.

"Missão cumprida, sancionado o PL 2824/20. É justiça tributária e sensibilidade do Presidente. Obrigado Jair Bolsonaro. Agora o Cruzeiro tem reais possibilidades de reconstrução. A União não pode ser algoz de quem quer pagar as suas dívidas. A nova lei prevê a responsabilização de dirigentes em casos de crime de gestão, com possibilidade de tomada de bens particulares de possíveis envolvidos, a reabertura do PROFUT e a possibilidade de transação tributária com PGFN através de operação financeira com Caixa Econômica", publicou o agora ex-dirigente.

Entretanto, a mensagem de Léo Portela está afastada da realidade, tendo em vista que o Projeto de Lei, de fato sancionado por ato presidencial, não prevê a reabertura do Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol, o conhecido Profut.

Como as primeiras postagens de Léo Portela na rede social geraram questionamentos, o próprio deputado estadual tratou de emendar outra explicação. "Importante esclarecer. O que mais interessava ao Cruzeiro foi totalmente sancionado por Jair Bolsonaro. O Art. 8° (do PL 2824/20), que trata da possibilidade de transação tributária com a PGFN e a responsabilização de dirigentes com seu patrimônio pessoal", tuitou.

Polêmica recente

Antes de anunciar sua saída da superintendência do Cruzeiro, Léo Portela se viu no meio de um episódio que envolveu cobrança judicial em cima do Cruzeiro. O empresário André Cury, um dos mais influentes do futebol mundial, usou uma "tuitada" do então dirigente para cobrar dívidas da Raposa na Justiça.

Cruzeiro