PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu vira sobre o Goiás, marca quatro vezes e entra no G-6 do Brasileirão

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

07/10/2020 22h30

O Fluminense saiu atrás, mas virou o jogo, melhorou no segundo tempo e entrou no G-6 do Campeonato Brasileiro. A vitória por 4 a 2 sobre o Goiás, com gols de Yago, Fred, Nenê e Digão, teve um Tricolor com postura bem diferente dos últimos jogos.

Sem tirar o pé do acelerador quando mexeu no placar, o Flu teve boa atuação, controlou o lanterna Esmeraldino e afastou o "fantasma" de Robin Hood da competição. O triunfo levou a equipe de Odair Hellmann ao sexto lugar, com 21 pontos. Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Bahia, no domingo, às 16h, no Maracanã.

Dodi não marca, mas é o melhor do Flu

Em um jogo de quatro gols, curiosamente, o melhor jogador em campo não balançou as redes. Ainda em negociação conturbada por sua renovação, o volante foi o motor do Fluminense que marcou quatro gols na Serrinha e entrou no G-6 do Campeonato Brasileiro. Sem Michel Araújo, coube ao camisa 22 levar o time à frente em uma partida pouco inspirada de Nenê. E o apoiador cumpriu com maestria, distribuindo o jogo e vencendo a maioria das disputas no meio de campo.

Fred volta a balançar as redes em jogo 300

Contra o Botafogo, Fred colocou a bola "quase" dentro do gol, mas o árbitro Anderson Daronco deu gol contra de Kevin. Desta vez, em seu jogo de número 300 com a camisa do Fluminense, o centroavante não perdoou. No segundo tempo, o camisa 9 aproveitou cruzamento da direita e cabeceou para as redes para colocar o Tricolor à frente no placar.

He-Man deixa dois e se emociona

Na primeira partida após a morte de sua mãe, Júlia Moura, o atacante Rafael Moura marcou dois gols contra seu ex-clube e foi às lágrimas na Serrinha. Querido no Fluminense, que prestou suas condolências pela perda, o jogador se emocionou muito após abrir o placar.

Flu começa melhor, mas agride pouco

O jogo começou com o Tricolor melhor, jogando principalmente pela ponta direita com Fernando Pacheco. A melhor chance veio com o peruano, aos 13, por ali, mas Fred chegou atrasado no carrinho. Aos 16, Igor Julião cruzou para Yago balançar as redes, mas o impedimento foi marcado, e o gol, anulado. Após o bom início, o Flu passou a agredir pouco, e o Goiás cresceu justamente pelo seu lado esquerdo.

Goiás abre o placar em 1ª 'lei do ex'

Com muito erros de passe, os times faziam um jogo truncado. Os donos da casa tinham dificuldade na saída de bola até que aos 21, o ataque foi mais rápido que a recomposição tricolor. Aos 21, Jefferson avançou pela esquerda e achou Rafael Moura, que fez a lei do ex imperar pela primeira vez no jogo. O gol fez o Goiás crescer ainda mais na partida. Sem Michel Araújo, Nenê, centralizado, aparecia pouco, e o Flu não criava muitas chances.

Tricolor empata com golaço

O Fluminense já mostrava queda de rendimento quando aos 40, Digão cabeceou à queima-roupa, mas parou em Tadeu. No escanteio gerado, Pacheco pegou rebote na esquerda e cruzou. Hudson escorou e Yago bateu no ângulo, em chute de rara felicidade. O gol foi mais uma lei do ex na Serrinha, e ainda caberia mais.

Flu muda pontas e vira com Fred

Na volta do intervalo, Odair Hellmann trocou Fernando Pacheco — que foi bem melhor pela direita — e colocou Caio Paulista. Com o camisa 70 em campo, a equipe manteve as tentativas por aquele lado. Logo aos seis, depois de errar no primeiro cruzamento, o atacante colocou a bola na cabeça de Fred, que escolheu o canto para virar a partida.

VAR vê pênalti, e He-Man faz mais um

A lei do ex não pararia cedo na Serrinha. Aos 20, em bate e rebate na grande área, Digão e Mike se embolaram e a bola resvalou no braço do zagueiro. O VAR chamou Luiz Flávio de Oliveira, que assinalou pênalti. Na cobrança, Rafael Moura colocou no canto e correu para comemorar mais um.

Flu faz dois em cinco minutos

Em busca da vitória e com postura diferente dos outros jogos, o Fluminense subiu a marcação para forçar o erro do Goiás. E ele veio aos 24, quando Hudson roubou a bola de Ratinho e tocou para Nenê. Na entrada da área, o camisa 77 não perdoou e bateu no cantinho, sem chance para Tadeu, marcando seu 18º gol em 2020. Sem tirar o pé do acelerador, o Tricolor ainda marcaria de novo aos 30: Danilo Barcelos colocou na área, a zaga do Esmeraldino não cortou e Digão tentou duas vezes antes de chutar no canto para balançar novamente as redes.

FICHA TÉCNICA

GOIÁS 2x4 FLUMINENSE


Data/Hora: 07/10/2020, às 20h30
Local: Estádio Hailé Pinheiro - Serrinha, Goiânia (GO)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP- FIFA)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP-FIFA) e Evandro de Melo Lima (SP)
Árbitro de vídeo: José Cláudio Rocha Filho (SP)

Cartões amarelos: Breno, Ratinho (GOI), Yago Felipe, Fernando Pacheco (FLU)
Cartões vermelhos: -
Gols: Rafael Moura (21'/1ºT) (1-0), Yago Felipe (40'/1ºT) (1-1), Fred (6'/2ºT) (1-2), Rafael Moura (21'/2ºT) (2-2), Nenê (24'/2ºT) (2-3), Digão (30'/2ºT) (2-4)

GOIÁS: Tadeu; Edilson, Fábio Sanches, Heron e Jefferson (Shaylon); Breno, Ratinho e Ignacio Jara (Caju); Victor Andrade (Mike, depois Vidal), Rafael Moura e Vinícius. Técnico: Enderson Moreira.

FLUMINENSE: Muriel, Igor Julião (Daniel), Nino, Digão e Danilo Barcelos; Hudson (Wisney), Dodi, Yago Felipe, Nenê (Christian); Fernando Pacheco (Caio Paulista) e Fred (Felippe Cardoso). Técnico: Odair Hellmann.

Fluminense