PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

CBF mostra 9,7 mil testes e defende protocolo para liberar Fla X Palmeiras

Walter Feldman, Rogério Caboclo, Mário Bittencourt e Marcelo Penha na sede da CBF, na Barra da Tijuca  - Lucas Figueiredo/CBF
Walter Feldman, Rogério Caboclo, Mário Bittencourt e Marcelo Penha na sede da CBF, na Barra da Tijuca Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Pedro Lopes e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

27/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

Além de apontar descumprimentos de protocolo por parte do Flamengo, a CBF apresentou ao Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro dados sobre os 9,7 mil testes realizados até ontem no Campeonato Brasileiro, para provar a segurança de seus protocolos e tentar revogar a liminar que suspendeu o confronto de hoje entre Palmeiras e Flamengo. No documento apresentado à Justiça, ao qual o UOL Esporte teve acesso, a confederação ataca o principal ponto da decisão, que considerou que há risco de contaminação para os envolvidos no jogo.

Para provar seu ponto, a CBF abriu resultados dos 9690 mil testes realizados até ontem nas Séries A, B e C do Brasileirão - um total de 236 partidas. No total, foram 182 resultados positivos, o que equivale a 1,9% do total de testados. Na Série A, o índice é o menor dentre as três divisões, com 3896 testes e 51 resultados positivos, uma taxa de positividade de 1,3%.

Segundo o argumento da entidade à Justiça, a taxa de positividade caiu de 5,3% na testagem antes da primeira rodada do Brasileirão para pouco mais de 0% antes da décima rodada. Isso indicaria que não tem ocorrido transmissão entre equipes durante as partidas da competição, risco apontado pela liminar de ontem.

Para reforçar a tese, a CBF apresenta dados de diversos confrontos que envolveram equipes que tiveram um número alto de testes positivos. Os jogos são de diversas divisões, do futebol masculino e feminino. Dentre as equipes masculinas analisadas estão CSA, CRB, Guarani, Ypiranga, Brusque e Londrina; das femininas, Minas Brasília, São Paulo e Audax.

A análise pega os clubes que tiveram um número alto de resultados positivos e acompanha os testes ao longo das próximas duas ou três partidas, mostrando que não há contaminação dos adversários nesses confrontos, ou dos funcionários que trabalham nos jogos.

CBF mostra dados para sustentar que não há transmissão de covid-19 em partidas - Reprodução - Reprodução
CBF mostra à Justiça dados para sustentar que não há transmissão de covid-19 em partidas
Imagem: Reprodução

O último exemplo é o próprio jogo entre Flamengo e Indepediente Del Valle, sob responsabilidade da Conmebol. A CBF aponta que o clube equatoriano enfrentou o Flamengo e teve apenas um teste positivo divulgado cinco dias após o confronto, o que corroboraria a tese de que a contaminação cruzada durante os jogos de futebol é rara.

Isso reforçaria o segundo argumento da confederação, de que o Flamengo sofre com um surto de covid-19 por não ter seguido à risca os protocolos estabelecidos, como publicado ontem pela reportagem.

A liminar que suspendeu o jogo entre Palmeiras e Flamengo foi concedida a pedido do Sindeclubes, sindicato que representa funcionários de clubes do Rio de Janeiro. Ainda ontem, o Sindicato dos Atletas de Futebol do Rio de Janeiro (Saferj) entrou com uma segunda ação, também pedindo o adiamento do confronto. A CBF tenta reverter a situação antes das 16h de hoje, horário previsto para a partida, que aconteceria no Allianz Parque.