PUBLICIDADE
Topo

Libertadores - 2020

Antigos capitães, D'Alessandro e Maicon já não são protagonistas do Gre-Nal

D"Alessandro, do Internacional, disputa lance com Maicon, do Grêmio, durante clássico - Pedro H. Tesch/AGIF
D'Alessandro, do Internacional, disputa lance com Maicon, do Grêmio, durante clássico Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

23/09/2020 15h48

Classificação e Jogos

Maicon e D'Alessandro já brigaram antes, durante e depois de clássicos. Mas no duelo de hoje (23), às 21h30 (de Brasília), pela quarta rodada do grupo E da Libertadores, os antigos capitães de Inter e Grêmio vivem outra fase. Longe do protagonismo, se acostumam com situações diferentes na carreira.

D'Alessandro vê os dias de atleta se aproximarem do fim. Aos 39 anos, o argentino — que na última semana conseguiu nacionalidade brasileira — já reconheceu diversas vezes que está em "outro momento" de sua trajetória vencedora.

No Beira-Rio, à noite, D'Ale deve iniciar no banco de reservas, posto que tem costumado ocupar em 2020. Ainda que siga sendo importante ao grupo e com influência reconhecida nos mais diversos setores do Colorado, o camisa 10 é reserva na equipe de Eduardo Coudet, seu amigo particular e ex-colega de River Plate.

No último Gre-Nal, por exemplo, em um dos raros focos de confusão na vitória gremista por 2 a 0 pelo Gauchão, vários atletas do Inter que estava realizando aquecimento correram até a beira do campo para protestar e discutir. Solitário, D'Alessandro permaneceu estático, apenas observando de longe o problema que não durou muito.

O gringo já foi autor de gols, protagonista em disputas ríspida, ávido em provocações, mas hoje dá lugar ao surgimento de novos protagonistas. Está ampliando espaço para o surgimento de "novos D'Alessandros". Caso seja utilizado na partida de logo mais, completará 500 jogos com a camisa do Inter.

Maicon ainda impacta no Gre-Nal, é verdade. Mas não com a mesma intensidade. Autor de um dos gols da mais recente vitória, em julho, o camisa 8 tem convivido com lesões e não engata sequência no time titular. As ausências afetam a mecânica do time, cada vez mais voltado para a cadência e posse e deixando a velocidade dos lados em tempos passados.

Ídolo dos gremistas, Maicon ganhou protagonismo no Gre-Nal com vitórias do time e por encarar colorados. Primeiro, D'Alessandro no Beira-Rio. Ainda no sorteio de saída de bola. À época, o volante disse que não deixaria o camisa 10 do Inter "apitar" o jogo. Mais tarde, foi a vez de duelar com Rodrigo Dourado.

O camisa 13 do Inter citou infiltrações no joelho para jogar e no dia seguinte, Maicon convocou coletiva para revidar. Soltou "quem?" em meio a pergunta que citava Dourado. A reação provocativa virou meme entre os gremistas.

Foi Maicon, também, um dos representantes do Grêmio no pedido do Inter revelado pelo UOL Esporte. Em 2018, jogadores colorados pediram para os gremistas serem mais comedidos nas provocações — com argumento de acirramento de ânimos no dia a dia de familiares pela cidade.

Hoje, Maicon está concentrado com os demais jogadores. Mas se recupera de lesão e não deve atuar. Se jogar, será muito também pelo impacto anímico. Afinal de contas, protagonistas levam a notoriedade consigo para sempre.