PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gre-Nal na Libertadores dá sequência a ano de rivalidade extrema no Sul

Jeferson Guareze/AGIF
Imagem: Jeferson Guareze/AGIF

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

23/09/2020 04h00

Internacional e Grêmio entram em campo para mais um jogo que promete muito. O clássico 427, hoje (23), às 21h30 (de Brasília), no Beira-Rio, é válido pela quarta rodada do Grupo E da Copa Libertadores, mas transcende o campo. Em um ano de rivalidade extrema, colorados e gremistas já trocaram provocações, socos e se afastam cada vez mais.

Provocações

Não é novidade que Inter e Grêmio se provoquem. Mas há tempo não se via o cenário que ocorre atualmente. A cada nova vitória — três neste ano — os gremistas foram para redes sociais provocar os rivais. Frases lembrando o jejum do oponente e sublinhando novas conquistas fomentam a inimizade.

E foram várias oportunidades. Fotos, vídeos, transmissões ao vivo e até mesmo um cachecol colocado no pescoço do técnico Renato Gaúcho na conquista do Campeonato Gaúcho sobre o Caxias, marcam o momento do enfrentamento entre azuis e vermelhos.

Pancadaria generalizada

Se fossem apenas palavras, tudo bem. Mas não foram. Inter e Grêmio mostraram em campo que a rivalidade ultrapassou uma simples corneta de mão dupla. No primeiro clássico da Libertadores, uma discussão normal entre Pepê e Moisés — que ocorre muitas vezes durante um Gre-Nal — se transformou em uma pancadaria generalizada. Foram oito expulsos do clássico que entrou para história como primeiro a valer por uma Libertadores.

Ali, acima do "calor da partida" esteve presente o produto de tudo que ocorreu em momentos anteriores de parte a parte. Inter e Grêmio passam longe de ter uma relação "cordial".

Oficialmente secos

Não é apenas conduta de jogadores, normalmente jovens e que têm na rede social um fator relevante da vida. Os clubes já não caminham juntos como caminharam em outros tempos. Os "co-irmãos" que antigamente se parabenizavam com alguma provocação, mas em páginas de jornais, com palavras de apreço e reconhecimento, foram secos em 2020. Em abril, no aniversário do Internacional, o perfil oficial do Grêmio publicou apenas "Parabéns, Inter". Em setembro, o Inter devolveu exatamente na mesma moeda. "Parabéns, Grêmio", retrucou. Nada além.

Hegemonia x jejum

Enquanto isso, o Grêmio mantém hegemonia evidente no duelo. O Tricolor não perde nem sequer sofre gol do Inter (houve um gol contra de Paulo Miranda) desde 2018. São nove jogos com cinco vitórias azuis e quatro empates.

Nesta noite, o ápice da rivalidade estará novamente em campo. E, certamente, qualquer acontecimento irá se refletir dentro de pouco mais de uma semana, quando as equipes voltarão a se enfrentar, desta vez pelo Brasileiro.

Futebol