PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Babi vira "pesadelo" e expõe fragilidade do Vasco nas bolas aéreas em 2020

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

18/09/2020 04h00

Classificação e Jogos

Como parar Matheus Babi? Esta será a pergunta que irá pairar São Januário até o confronto de volta da quarta fase da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira (23), em São Januário. O atacante do Botafogo fez três gols no Vasco nos dois jogos consecutivos, e ontem (17) ainda explicitou um problema defensivo da equipe cruz-maltina em 2020: as bolas aéreas.

Praticamente metade dos gols sofridos na temporada foram desta maneira. São 22 no total, sendo dez em bolas alçadas na área. O problema se tornou ainda mais acentuado recentemente, já que nos últimos cinco jogos, quatro tentos aconteceram desta forma.

Para o técnico Ramon Menezes, o gol de ontem de Matheus Babi — quando o atacante subiu mais alto que Miranda e Yago Pikachu — foi mérito do atacante alvinegro, e não uma falha defensiva.

"Foi mérito do Babi, ele é um bom jogador assim como os que temos aqui. No domingo, o Ygor Catatau fez o dele, um gol muito importante. Babi tem estatura boa e muita movimentação. É claro que precisamos ter atenção na área, sentir a presença dele na área, mas foi um lance que ele teve felicidade. Vi como nasceu a jogada. Gatito saiu com a bola, achou o Honda e saiu a jogada. Agora, é recuperar os atletas e levantar a cabeça", declarou o treinador à Vasco TV.

Já o zagueiro e capitão Leandro Castan lamentou mais um gol sofrido de cabeça, mas preferiu ressaltar o desempenho abaixo do esperado de toda a equipe.

"Tomamos um gol de cabeça, mas acho que a gente poderia ter jogado melhor hoje [quinta]. O time do Botafogo corrigiu os erros do último jogo. A gente não conseguiu jogar no campo deles. Depois, ficou um jogo catimbado, um jogo parado, e não conseguimos imprimir a velocidade que a gente conhece. Todo mundo sabe que nosso time é rápido para sair com a bola, mas temos, agora, mais 90 minutos em São Januário. Vamos trabalhar para corrigir esses erros também", declarou ao Premiere.

Gol sofrido no Carioca é interpretativo

O UOL Esporte preferiu não colocar na lista de gols sofridos em jogadas de bola aérea o que aconteceu na vitória por 3 a 2 sobre a Portuguesa (RJ), ainda pelo Campeonato Carioca. Ele foi feito por Maicon Douglas e foi o segundo da Lusa (o primeiro também foi de bola aérea). Na ocasião, um cruzamento foi feito pela direita, a bola pererecou por toda a área e acabou em uma conclusão rasteira do jogador da equipe da Ilha do Governador (RJ). O lance, porém, é interpretativo (veja o gol na lista de vídeos abaixo).

Os dez gols sofridos de bola aérea pelo Vasco em 2020:

Flamengo 1 x 0 Vasco - Lucas Silva - Campeonato Carioca

Vasco 3 x 2 Portuguesa - Chay - Campeonato Carioca

Altos 1 x 1 Vasco - Marrony contra - Copa do Brasil

Marrony faz gol contra no empate do Vasco em 1 a 1 com o Altos (PI) pela Copa do Brasil - Reprodução / TV Globo - Reprodução / TV Globo
Imagem: Reprodução / TV Globo

Vasco 0 x 1 Goiás - Fabio Sanches - Copa do Brasil

Vasco 3 x 1 Macaé - Jones - Campeonato Carioca

Goiás 1 x 2 Vasco - Rafael Vaz - Copa do Brasil

Santos 2 x 2 Vasco - Lucas Veríssimo - Campeonato Brasileiro

Vasco 1 x 2 Atlético-GO - Renato Kayzer (dois gols de bola aérea) - Campeonato Brasileiro

Botafogo 1 x 0 Vasco - Matheus Babi - Copa do Brasil

Futebol