PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2020

Fred marca, Flu vence clássico contra o Vasco e dorme no G-4 do Brasileirão

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/08/2020 20h59

Classificação e Jogos

Foi com mais emoção do que o jogo indicava, mas o Fluminense venceu o clássico contra o Vasco por 2 a 1, engatou a terceira vitória seguida e subiu na tabela do Campeonato Brasileiro. Os gols de Dodi e Fred, que marcou pela primeira vez desde seu retorno ao clube, abriram caminho para o triunfo — Talles Magno descontou.

Com a vitória, o Flu entrou momentaneamente no G-4 e pode terminar a rodada na zona de classificação para a Libertadores, com 10 pontos. O Tricolor não disputa a competição internacional desde 2013, após ser tetracampeão brasileiro no ano anterior. Já o Cruz-Maltino, com a mesma pontuação, perdeu a chance de seguir na cola do Inter e viu o Colorado disparar na primeira posição, com 15.

Dodi marca um golaço e é o melhor do Flu

Quem esperava a lei do ex com Nenê ou o brilho dos jovens Marcos Paulo e Evanílson no ataque se surpreendeu logo no início. Autor de um golaço, o volante Dodi foi o grande destaque no Fluminense no clássico contra o Vasco. Além do foguete para deixar sua marca, o camisa 22 controlou as ações no meio de campo, roubou três bolas e interceptou outras seis. Outra grande atuação do Tricolor foi de Egídio, que se recuperou dos últimos jogos ruins e fez boa partida no Maracanã.

Parede não funciona como titular

Aposta de Ramon Menezes para começar o jogo, Guilherme Parede não correspondeu à expectativa do treinador e errou tudo o que tentou. O atacante, que começou o jogo aberto na ponta direita, pouco apareceu. Também por isso, o técnico mexeu logo no intervalo e tirou o jogador para a entrada do volante Juninho.

Flu tem início arrasador

O relógio marcava pouco mais de dois minutos quando o Fluminense, em início arrasador, abriu o placar. A boa jogada pela esquerda terminou em belo passe de Egídio para Dodi, que colocou no ângulo de Fernando Miguel para marcar um golaço.

A pressão inicial continuou: aos sete, Yuri avançou pela direita e bateu na rede pelo lado de fora, e aos dez, Nenê chapou tirando tinta da trave do Vasco.

Vasco demora a acordar

O Cruz-Maltino só acordou aos 17, com Talles Magno. Primeiro, o ponta fez um salseiro pela esquerda até vencer o escanteio. Depois, Benítez cobrou escanteio, o camisa 11 ganhou no alto e escorou para o meio, mas Cano, o artilheiro do Vasco, tocou fraco para boa defesa de Marcos Felipe. Só a partir daí a equipe de Ramon Menezes equilibrou as ações.

Que fase! Evanílson perde mais uma

Aos 32, o Flu teve a melhor chance de aumentar o placar. A bola rodou pela esquerda até Egídio achar um cruzamento venenoso que Fernando Miguel espalmou para o meio da área. Na marca do pênalti, Evanílson teve a faca e o queijo na mão, mas chutou em cima do goleiro já caído, com o canto aberto. É a terceira chance claríssima perdida pelo camisa 99 na grande área em três jogos. Que fase!

Fim movimentado de primeiro tempo

No movimentado fim da primeira etapa, o Tricolor voltou a ser melhor, apesar da posse de bola maior do "Ramonismo": 52% a 48% nos primeiros 45 minutos. Aos 41, Calegari ainda foi fominha e perdeu mais uma chance de aumentar para o Flu, chutando para fora em vez de cruzar para os livres Marcos Paulo e Evanílson. E aos 46, o Vasco que quase empatou: Ricardo Graça ganhou no alto e cabeceou rente ao ângulo de Marcos Felipe, que ficou no golpe de vista.

Talles Magno desencanta...

O atacante Talles Magno segue sem repetir o bom futebol de 2019 e não teve uma noite das mais inspiradas no Maracanã. O garoto vascaíno ficou mais preso ao lado esquerdo e não dialogou muito com Cano. A ideia de Ramon era deixar o atacante no mano a mano com Calegari, mas não houve essa superioridade. Por isso, no segundo tempo, o treinador trocou Parede por Juninho, avançando Carlinhos, ganhando mais um homem no meio e deixando o jovem solto para flutuar. No fim do segundo tempo, o garoto de 18 anos aproveitou sobra de chute de Bruno César e deixou o seu, o primeiro em 2020.

... Mas é expulso

Apesar disso, perdeu a cabeça ao sofrer falta de Igor Julião, deu um soco pelas costas no lateral e acabou expulso. Ao descer as escadas para o vestiário, o jovem saiu chorando por ter prejudicado a equipe na reta final.

Ramon vai para cima no segundo tempo

Sem Andrey nem Bruno Gomes, o Vasco não repetia suas melhores atuações. A ausência dos dois volantes, que dão o ritmo ao jogo, fez Fellipe Bastos centralizar demais a saída de jogo, e lento, o camisa 8 não conseguiu fazer a equipe ficar mais ofensiva. Depois de mudar Parede por Juninho, Ramon Menezes colocou Bruno César e Gabriel Pec nas vagas de Bastos e Carlinhos, deixando o time com três meias e três atacantes em campo.

Jogo morno na segunda etapa

Talvez pelo cansaço por ter jogado no meio de semana, tanto Flu quanto o Vasco fizeram um jogo mais morno na segunda etapa. Mesmo atrás no placar e com as mexidas de Ramon Menezes, o Cruz-Maltino foi pouco agressivo. Os 45 minutos finais tiveram pouquísimas chances de gol.

Fred volta a pegar

Vendo o desgaste de sua equipe, Odair Hellmann sacou Nenê e Evanílson aos 30 do segundo tempo e promoveu a entrada dos veteranos Ganso e Fred. E a dupla funcionou: o camisa 10 achou lindo passe para Fred, que abriu espaço e soltou uma bomba para marcar o seu primeiro gol no retorno ao Fluminense, exatos quatro anos e três meses depois de balançar as redes pela última vez com a camisa tricolor.

Fernando Miguel inseguro no clássico

O goleiro do Vasco deu sustos na torcida durante o clássico e não teve noite das mais inspiradas no Maracanã. Sem culpa alguma no gol de Dodi, o jogador errou algumas saídas de bola e quase entregou o ouro. Ainda que tenha feito uma ou outra boa intervenção, Miguel não teve força suficiente para espalmar a bomba de Fred, chute que resultou no segundo gol.

Mosaico com escudo 3D... e provocação

Em busca de fazer valer o fator casa apesar da ausência de público por conta da pandemia do novo coronavírus, a diretoria do Flu convocou lideranças da arquibancada mais uma vez para colocar faixas e outros adereços no Maracanã. Desta vez no setor Sul e não na Leste, de frente para as câmeras de TV, a torcida montou um lindo mosaico em verde, branco e grená. A escolha foi por conta do escudo 3D, cuja altura não cabe entre as cadeiras nas laterais do campo. Além disso, um quê de provocação: o Vasco contesta a utilização do lado direito das cabines, um direito conquistado na década de 50. Após a privatização do estádio, hoje concedido à dupla Fla-Flu, o Tricolor optou pelo local e tem a prerrogativa de utilizá-lo em todos os jogos por força de contrato — ainda que a polêmica às vezes volte ao noticiário.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 2x1 VASCO

Estádio:
Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 29/08/2020, às 19h
Árbitro: Braulio da Silva Machado (Fifa-SC)
Auxiliares: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Henrique Neu Ribeiro (SC)
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)

Gols: Dodi (2'/1ºT) (1-0), Fred (35'/2ºT) (2-0), Talles Magno (40'/2ºT) (2-1)
Cartões amarelos: Yuri, Fred, Igor Julião, Wellington Silva (FLU), Fellipe Bastos (VAS)
Cartões vermelhos: Talles Magno (VAS)

FLUMINENSE: Marcos Felipe; Calegari (Igor Julião), Nino, Luccas Claro, Egídio; Yuri (Hudson), Dodi, Nenê (Ganso); Michel Araújo, Evanilson (Fred) e Marcos Paulo (Wellington Silva). Técnico: Odair Hellmann.

VASCO: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Ricardo Graça, Leandro Castan e Henrique; Fellipe Bastos (Bruno César), Carlinhos (Gabriel Pec), Benítez; Parede (Juninho), Talles Magno; Cano (Ribamar). Técnico: Ramon Menezes.