PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Tiago Nunes "sobe tom", defende Luan e se irrita com comparação a Sampaoli

Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/08/2020 08h20

Enquanto o Corinthians mostra dificuldades para emplacar uma série de resultados positivos, Tiago Nunes "sobe o tom" em suas entrevistas coletivas. Após o empate com o Fortaleza, ontem (26), na Arena Corinthians, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, o treinador defendeu Luan, se irritou com comparação a Jorge Sampaoli e cobrou paciência na avaliação de seu trabalho.

O treinador do Corinthians criticou a mídia em alguns momentos da entrevista coletiva após o jogo. Tiago Nunes disse que a imprensa "pega pesado" com Luan e não respeita a trajetória do camisa 7.

Ele apanha muito da imprensa, vocês pegam um pouco pesado com ele, podemos ter calma nas avaliações. Ele merece carinho, respeito em sua trajetória

No fim da coletiva, Tiago Nunes, apesar de respeitoso, também se mostrou incomodado ao ser indagado sobre o desempenho do time na temporada e sobre o com o Fortaleza.

"As avaliações são em função do resultado. Se tivemos vencido a equipe teria encaixado, como não venceu você vem com essa fala que não encaixou", disse Tiago, que também não gostou de ouvir que o Corinthians quase perdeu para o Fortaleza.

"A equipe também quase ganhou né. Se tratando de Corinthians vocês têm uma ótica negativa", disse.

Mais "cutucadas" de Tiago Nunes em coletivas

T. Nunes - Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians - Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Imagem: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Tiago Nunes tem repetido constantemente em suas entrevistas que a avaliação do seu trabalho é sempre feita em cima dos resultados. Na semana passada, após ser indagado sobre uma possível falta de variação tática de sua equipe, o treinador fez uma leve crítica em relação ao entendimento da imprensa sobre o sistema de jogo do Corinthians sob o seu comando.

"Teve mudanças de sistema aqui, talvez não tenha ficado perceptível por vocês, pois acabam olhando muito para o número da camiseta do jogador, mas não para o papel que ele exerce", disse.

Na semana passada, Tiago Nunes utilizou os técnicos estrangeiros de exemplo ao falar sobre quantos jogos é necessário para que um treinador implemente seu estilo de jogo e lembrou que foi "crucificado" por dizer que precisa de 40 jogos no Corinthians para emplacar seu planejamento.

"O Klopp falou em três anos, o Guardiola em dois. Eu falei em 40 jogos e quase fui crucificado", disse.

Na mesma entrevista, Tiago fez críticas em relação a comparações pois alega que "alguém sempre sai perdendo" e voltou a ficar incomodado em uma avaliação sobre o trabalho de Jorge Sampaoli, comandante do Atlético-MG. O técnico corintiano foi questionado sobre como o argentino implementa seu estilo de jogo em cerca de um mês e ele fala em 40 jogos.

Tiago Nunes disse que a paciência com os técnicos estrangeiros é maior e citou os tropeços de Sampaoli no Santos na temporada passada. Em seguida, ele colocou em dúvida se teriam a mesma paciência caso o treinador fosse brasileiro.

"O que eu vejo é que o nível de paciência com os treinadores brasileiros está muito baixo. Espero que a pergunta seja nesse tom, você vai lembrar que o Santos levou cinco do Ituano, tomou quatro do Botafogo-SP, quatro do Palmeiras, foi eliminado para o River Plate do Uruguai na Sul-Americana, caiu na Copa do Brasil, foi eliminado pelo Corinthians na semifinal do Paulista, e o trabalho teve continuidade. Ele trabalhou seis e sete meses do ano só com o Brasileiro. A dúvida e a bola que levanto para você responder é se fosse um treinador brasileiro teria a continuidade que ele teve. Sou defensor dessa continuidade, e o trabalho dele está aí. Quantos jogadores foram contratados para mudar a filosofia de jogo, quantos foram colocados à parte porque não serviam para a filosofia de jogo dele?", questionou.

Agora, Tiago Nunes inicia a preparação para o clássico contra o São Paulo, domingo, às 11h (de Brasília), no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

Corinthians