PUBLICIDADE
Topo

Marinho critica pessoas brancas que enfrentam racismo só 'para ganhar like'

Marinho, jogador do Santos, em mensagem gravada para o "Esporte Espetacular", da Globo - reprodução/Globo/Esporte Espetacular
Marinho, jogador do Santos, em mensagem gravada para o "Esporte Espetacular", da Globo Imagem: reprodução/Globo/Esporte Espetacular

Do UOL, em São Paulo

03/07/2020 21h59

Marinho, atacante do Santos, é negro e totalmente a favor do apoio de brancos na luta contra o racismo. Porém, o jogador fez fortes críticas a pessoas que, na opinião dele, se manifestam contra o preconceito apenas quando é conveniente e podem ganhar "likes" na internet.

"A gente vê muitas pessoas brancas que defendem a causa. Ótimo, legal. Mas tem muita gente que defende a causa para ganhar mídia, simplesmente para ganhar like. E isso me revolta, entendeu?", disse ele ao "Esporte Espetacular", da Globo, que exibirá a íntegra da gravação com Marinho no domingo.

"Quando chega na hora em que acontece alguma coisa, estão lá vestindo a camisa para aparecer na televisão. Mas por que não botam a cara quando a gente precisa, quando a população negra precisa de apoio? Por que não aparecem?", questionou Marinho.

"Mas quando tem câmera todo mundo quer aparecer. A gente vê muitos branquinhos aparecendo. Nada contra. Eu conheço muitos brancos que também defendem a causa porque também têm sangue negro", completou.

Na semana passada, o atacante do Santos participou da campanha "Poderia ser eu", do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, coletivo criado para monitorar e divulgar casos de racismo e ações contra o preconceito no futebol brasileiro.

O vídeo da campanha (veja acima) mostra a seguinte mensagem: "A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil". Em seguida, vários jogadores e jogadoras de clubes brasileiros, como Marinho, aparecem e entoam a frase: "Poderia ser eu".

Santos