PUBLICIDADE
Topo

Ferj cita surpresa com rescisão e diz que times não devem transmitir jogos

RICARDO MORAES
Imagem: RICARDO MORAES

Do UOL, no Rio de Janeira (RJ)

02/07/2020 17h38

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) afirmou, em nota oficial, que foi surpreendida com a rescisão de contrato por parte da Globo para a transmissão do Campeonato Carioca. Além disso, a instituição entende que os clubes "signatários do contrato, no momento e mesmo como mandantes, não devem exercer o direito de transmitir suas partidas até posterior decisão".

Vale ressaltar, porém, que o Flamengo não tem contrato vigente com a Globo para esta edição do Estadual. Em contato com o UOL Esporte na tarde de hoje (2), Rodrigo Dunshee, vice-presidente Geral e Jurídico do Fla, garantiu que o clube mantém os planos de exibir as partidas em que for mandante pelas redes sociais.

A Globo rompeu o vínculo após a transmissão do duelo entre o time comandado por Jorge Jesus e o Boavista, que aconteceu na noite de ontem (1), pela FlaTV, canal oficial do time rubro-negro. O clube da Gávea se baseou na Medida Provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro no dia 18 do mês passado, que altera a configuração dos direitos de transmissão do esporte brasileiro. O documento afirma que a exibição da partida passa a ser de responsabilidade do mandante do evento, e não mais das duas entidades envolvidas.

No decorrer da última semana, a Globo chegou a ir à Justiça com o objetivo de impedir que o Rubro-Negro disponibilizasse o confronto, válido pela última rodada da Taça Rio, mas não obteve sucesso em tempo hábil.

Veja nota na íntegra:

"A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro foi surpreendida, nesta data, com a notificação da TV Globo sobre a rescisão de contrato dos direitos de transmissão do Campeonato Carioca e ainda com a informação, no documento, de que a emissora garante o pagamento integral da cota de 2020. Assim sendo, a FERJ apresentará a contra notificação e entende que os clubes signatários do contrato, no momento e mesmo como mandantes, não devem exercer o direito de transmitir suas partidas até posterior decisão".

Futebol