PUBLICIDADE
Topo

Sem alternativa, clubes começam estudo para antecipar volta do futebol

Plano passa pela realização de jogos com portões fechados e poucas pessoas nas delegações - Rodrigo Coca/Ag. Corinthians
Plano passa pela realização de jogos com portões fechados e poucas pessoas nas delegações Imagem: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians

Pedro Lopes *

do UOL, em São Paulo

08/04/2020 04h00

Classificação e Jogos

Em uma reunião da Comissão Nacional de Clubes (CNC) realizada ontem, com presença da CBF, representantes de 37 clubes brasileiros das Séries A e B decidiriam iniciar estudos para a retomada do calendário do futebol do nacional. A iniciativa ainda é embrionária, mas há entre a maioria dos dirigentes o consenso de que não há alternativa: sem datas, não há receita, e o futebol brasileiro não estava preparado para sobreviver a uma paralisação de meses.

A ideia a partir de agora é iniciar contatos com representantes da comunidade médica para estudar uma forma segura de antecipar a volta das atividades. Isso passa por pelo menos um ou dois meses de jogos com portões fechados e protocolos rígidos: testes nos atletas estão em debate, assim como a realização de jogos com participação de no máximo 20 a 30 pessoas para além dos 22 jogadores que estiverem atuando.

O plano é estabelecer diálogo com autoridades, inclusive com o Ministério da Saúde, para realizar tudo seguindo as indicações e políticas de combate ao coronavírus. Também haverá reuniões de clubes com as federações estaduais para começar a estudar as diretrizes. Os jogadores estão de férias até o dia 21 de abril.

Algumas das federações, inclusive, já começaram a esboçar protocolos. A Federação do Rio de Janeiro é uma delas. O UOL Esporte teve acesso a alguns detalhes: entidade carioca propõe que cada clube elabore uma lista de 40 pessoas essenciais para as atividades nos dias de jogos, com exclusão de pertencentes a grupos de risco, e está providenciando testes rápidos para o coronavírus para os dias 27 a 30 de abril. A federação também pediu sugestões de protocolos aos médicos dos clubes filiados.

O pontapé inicial não será, entretanto, dado sem o "ok" das autoridades federais e estaduais. Existe a expectativa de que, a partir do início dos diálogos, seja estabelecido um protocolo específico para as partidas de futebol, que seria seguido à risca.

Em termos de calendário, a prioridade é terminar os campeonatos estaduais - a CBF já garantiu às federações que eles serão priorizados quando houver o retorno às atividades. Ainda não há um plano definido para o Campeonato Brasileiro. Isso dependerá da realização ou não da Libertadores e da Sul Americana por parte da Conmebol e do número de datas que restarem disponíveis.

* colaborou Leo Burlá, do Rio de Janeiro

Futebol