PUBLICIDADE
Topo

Com nove nomes de 2018, Tite renova mas mantém base de confiança na seleção

Tite lê os nomes da convocação da seleção brasileira para as Eliminatórias - Felipe Moreno / MoWA Press
Tite lê os nomes da convocação da seleção brasileira para as Eliminatórias Imagem: Felipe Moreno / MoWA Press

Bruno Grossi e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

06/03/2020 13h55

Desde a eliminação do Brasil na Copa de 2018, parte das críticas à Tite vem sendo pautada em uma suposta falta de renovação da seleção brasileira no ciclo que se iniciou rumo ao Qatar em 2022. Nesta sexta-feira (6), o treinador convocou os 24 nomes que iniciam a disputa das Eliminatórias para o próximo Mundial com apenas nove jogadores que estiveram na Rússia. Gradualmente, a renovação acontece, mas ainda há apostas em veteranos em setores carentes e uma espinha dorsal de confiança.

A lista de jogadores que enfrentarão a Bolívia no próximo dia 27 de março na Arena Pernambuco tem Ederson, Danilo, Marquinhos, Thiago Silva, Casemiro, Coutinho, Neymar, Roberto Firmino e Gabriel Jesus como remanescentes da Copa do Mundo. Dani Alves só não esteve na Rússia por lesão.

Nas outras 15 vagas, a tão cobrada renovação aparece tanto na forma de jovens que estão tendo as primeiras oportunidades com em jogadores que já conquistaram o espaço de 2018 para cá. A primeira convocação de Tite pós-Mundial da Rússia tinha 13 atletas que haviam atuado na competição.

O goleiro Ivan, da Ponte Preta, e o volante Bruno Guimarães, do Lyon, começam nessas Eliminatórias sua trajetória competitiva na seleção brasileira. Ambos têm idade Olímpica, e também devem defender o Brasil Sub-23 nos jogos de Tóquio a partir do dia 24 de julho.

Ao longo do último um ano e meio, diversos atletas jovens se tornaram peças importantes e constantes nas listas de Tite. São os casos de Eder Militão, na zaga, e Renan Lodi, na lateral esquerda. Arthur se tornou titular do meio de campo. Na frente, é difícil imaginar uma convocação sem Everton ou Richarlison.

Os nomes escolhidos para o início da caminhada rumo ao Qatar também mostram que Tite é sensível ao momento de atletas que não tiveram tantas oportunidades ao longo dos últimos dos anos. A presença do trio do Flamengo com Bruno Henrique, Gabigol e Everton Ribeiro é prova disso.

"Todas as etapas foram de preparação. Agora existe outra de desempenho e resultado. Por vezes, em três, quatro meses, o nível do atleta muda, tem adaptação, retomada, ou uma equipe se ajustar e potencializar. É o caso do Everton Ribeiro. O Bruno Guimarães fez um grande campeonato ano passado, já acompanhamos. Agora acompanhamos na seleção sub-23, no Lyon. Isso vai consolidando", disse o comandante, sobre as novas presenças na lista.

A renovação, entretanto, passa longe de ser completa: ainda há raízes firmes no ciclo anterior, de preparação e disputa da Copa de 2018. Elas aparecem nas apostas em atletas veteranos em posições consideradas carentes, e na preponderância dentro da equipe mantida pelos remanescentes do Mundial.

Na lateral direita, Dani Alves segue sendo peça chave de Tite, tanto pela forma de atuar dentro de campo como pela liderança exercida dentro do elenco. Aos 36 anos e atuando pelo meio de campo no São Paulo, o experiente jogador foi eleito melhor jogador da Copa América no ano passado e herdou a faixa de capitão retirada de Neymar após o camisa 10 agredir um torcedor na França no primeiro semestre de 2018.

"Ele é um articulador no São Paulo, faz coordenação, armação. No Brasil ele joga assim, só que como lateral. Tem um DNA já há muito tempo, acredito que não haja dificuldade alguma de adaptação de uma forma ou de outra", disse o treinador.

A falta de um sucessor claro para Dani na lateral direita se repete na defesa com Thiago Silva, de 35 anos. O veterano é presença constante nas listas ao lado de Marquinhos e Éder Militão, e não tem um substituto claro de curto ou médio prazo. Mesmo o quarto nome na defesa brasileira tem sido objeto de uma busca longa: Felipe foi o chamado desta vez.

Veteranos à parte, com exceção de Danilo, os outros oito remanescentes da Copa de 2018 são peças fundamentais nos planos de Tite até o momento, e devem, com exceção do suspenso Gabriel Jesus, começar a disputa das Eliminatórias como titulares.

O Brasil encara a Bolívia no dia 27 de março, na Arena Pernambuco. Depois, segue para Lima, no Peru, onde encara a seleção local no Estádio Nacional no dia 31.

A lista

Goleiros

Ederson (Manchester City-ING)
Ivan (Ponte Preta)
Weverton (Palmeiras)

Laterais

Daniel Alves (São Paulo)
Danilo (Juventus-ITA)
Alex Sandro (Juventus-ITA)
Renan Lodi (Atlético de Madri-ESP)

Zagueiros

Eder Militão (Real Madrid-ESP)
Felipe (Atlético de Madri-ESP)
Marquinhos (Paris Saint-Germain-FRA)
Thiago Silva (Paris Saint-Germain-FRA)

Meio-campistas

Arthur (Barcelona-ESP)
Casemiro (Real Madrid-ESP)
Bruno Guimarães (Lyon-FRA)
Everton Ribeiro (Flamengo)
Fabinho (Liverpool-ING)
Coutinho (Bayern de Munique-ALE)

Atacantes

Bruno Henrique (Flamengo)
Everton (Grêmio)
Gabigol (Flamengo)
Neymar (Paris Saint-Germain-FRA)
Roberto Firmino (Liverpool-ING)
Richarlison (Everton-ING)
Gabriel Jesus (Manchester City-ING)

Seleção Brasileira