PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo leva susto, mas vira sobre o Boavista e conquista a Taça Guanabara

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

22/02/2020 19h58

Classificação e Jogos

O Flamengo é o campeão da Taça Guanabara. Em final contra o Boavista, o time rubro-negro confirmou o favoritismo após levar um susto no início, e, de virada, venceu por 2 a 1, conquistando o primeiro turno do Campeonato Carioca. Assim, garantiu vaga na decisão do Estadual. Jean abriu o placar para o time de Saquarema, mas Diego e Gabigol fizeram a alegria dos torcedores da equipe da Gávea.

Vale ressaltar que, se o Flamengo vencer a Taça Rio, segundo turno do Carioca, só será campeão se tiver o maior número de pontos no somatório das duas partes da competição.

Pelo Estadual, os times voltam a campo no próximo fim de semana. O Rubro-Negro recebe a Cabofriense, no Maracanã, no sábado, enquanto o Boavista enfrenta o Botafogo, no Nilton Santos, domingo.

Klever fecha o gol e é o melhor em campo no Maracanã

De todas as figurinhas carimbadas do Boavista, quem se saiu melhor foi o goleiro Klever. Cria do Fluminense, o goleiro de 30 anos fez grande partida contra o Flamengo no Maracanã. Além de não ser culpado pelos gols, o camisa 1 do Boavista parou o ataque rubro-negro com grandes defesas, e foi o melhor em campo na decisão da Taça Guanabara, apesar da derrota.

Leo Pereira erra tudo no primeiro tempo

O Flamengo começou mal o jogo, e o lado esquerdo da defesa era o mapa da mina para o Boavista. Foi nas costas de Renê e contando com péssima atuação de Léo Pereira que o time de Bacaxá abriu a jogada. Antes, o zagueiro já tinha "engrossado", mas o adversário não aproveitara. Depois, o camisa 4 ainda falhou mais três vezes, levando um amarelo e errando a maioria dos passes na saída de bola. O ex-Athletico foi o pior do Rubro-Negro no Maracanã.

Boavista: começo intenso e recuo

Quem esperava um Boavista acanhado no campo de defesa no Maracanã se enganou. O time de Paulo Bonamigo começou o jogo em intensidade maior que a do Fla, que costuma iniciar "voando", e imprimiu pressão nos primeiros 15 minutos. Além do golaço de falta de Jean Victor, o Verdão criou muitas chances pelo lado direito de seu ataque, nas costas de Renê e Léo Pereira. Com Erick Flores recuado para armar com Fernando Bob, o time passou a se postar mais recuado a partir dos 25 minutos, mas levou muito perigo nos contra-ataques.

Na segunda etapa, a equipe voltou mais recuada, é verdade, mas seguiu enfrentando o Fla de igual para igual. Cansados, Jefferson, Michel e Caio Dantas não conseguiam mais dar opções na frente para Fernando Bob e Erick Flores, os dois melhores do Boavista na linha. Por isso, ainda que jogasse avançado, a equipe criou pouco. Embaixo das traves, Klever parou o poderoso ataque rubro-negro com grandes defesas, salvando o Boavista no Maracanã.

Flamengo: testes de Jesus e começo ruim

Com o segundo jogo da Recopa Sul-Americana, contra o Independiente Del Valle (EQU), na próxima quarta-feira, o técnico Jorge Jesus optou por colocar um time praticamente reserva em campo, com apenas o zagueiro Gustavo Henrique e o atacante Gabigol dos considerados titulares. O volante Thiago Maia fez a estreia.

A equipe esteve sob um esquema mais ofensivo, porém, Vitinho e Michael jogam mais abertos que Arrascaeta e Everton. São atacantes, sem estarem muito apegados à construção de jogadas. Além disso, a linha de marcação muito alta "estourou" nos zagueiros, principalmente em Leo Pereira. Assim, o Boavista abusou dos lançamentos e levou bastante perigo, mais notavelmente pelo lado esquerdo da zaga.

Após o intervalo, porém, os comandados de Jesus conseguiram ditar o ritmo e criar diversas chances. De tanto insistir, veio a virada, com o faro artilheiro de Gabigol.

Cronologia do jogo

O Flamengo começou a partida com os jogadores "desconectados". A equipe rubro-negra, quase toda reserva, mostrava não estar entrosada e errava bastante. Já o Boavista, conseguiu imprimir um bom ritmo e criou chances. Em meio a essa "blitz" inicial, Jean abriu o placar para o time de Saquarema, em cobrança de falta.

Jean Victor comemora gol do Boa Vista contra o Flamengo no Maracanã - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Jean Victor comemora gol do Boavista contra o Flamengo no Maracanã
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Após a parada técnica, porém, o Flamengo pareceu se encontrar e teve mais presença no campo ofensivo. Pedro, que cabeceou para fora, e Michael, que obrigou Klever a fazer grande defesa, chegaram perto de balançar a rede.

A pressão deu certo e, nos minutos finais da etapa inicial, o Rubro-Negro chegou ao empate, com Diego, que arriscou de fora da área e contou com um desvio para a bola chegar ao barbante.

Jogadores do Flamengo comemoram gol contra o Boavista - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

A volta do intervalo mostrou um panorama diferente. O Flamengo começou melhor, "empurrou" o Boavista para o campo de defesa e passou a ditar o ritmo do duelo, criando chances de virar o marcador. O Boavista, por sua vez, apostava nas saídas em velocidade, aguardando o erro do adversário.

Jorge Jesus, então, colocou em campo Arão, Everton Ribeiro e Gerson, titulares do time, para buscar um novo cenário em busca da virada.

De tanto insistir, Gabigol decide de novo

Falta estrela para Gabriel Barbosa? Atuando com a camisa 24 nas costas, em homenagem a Kobe Bryant e se juntando à campanha "#NúmeroDoRespeito", o atacante não fez partida brilhante, é verdade, mas decidiu novamente para o Flamengo em uma final. Foi dele o gol da virada do Fla no Maracanã, dando mais uma taça para a coleção rubro-negra. Antes, havia criado chances pelas pontas, pelo meio e também as desperdiçado, com finalizações tortas. Mas na hora da decisão, a Nação sabe que pode contar com seu ídolo.

Que isso, César?

No fim, Jefferson Renan mandou a bola para a área e César saiu mal do gol. O goleiro se chocou com Michel, a bola bateu no adversário e foi a caminho do gol, mas João Lucas salvou.

Ritmo de folia

Com o Carnaval, muitos rubro-negros deixaram para comprar ingresso em cima da hora. Por isso, faltando pouco para a bola rolar, ainda tinham muitas filas nas bilheterias do Maracanã e alguns entraram apenas depois do apito inicial.

FICHA TÉCNICA

Boavista 1 X 2 Flamengo


Data: 22 de fevereiro de 2020, sábado
Horário: 18h (de Brasília)
Competição: Taça Guanabara, primeiro turno do Carioca
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Assistentes: Rodrigo Figueredo Henrique Corrêa e Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha
VAR: Wagner Nascimento Magalhães
Público / Renda: 53.818 pagantes / R$ 2.166.600,00
Cartões amarelos: Wellington Silva, Erick Flores, Jean e Vitor Faísca (Boavista); Léo Pereira, Gustavo Henrique, Gerson e Gabriel (Flamengo)
Gols: Jean, do Boavista, aos quatro minutos do primeiro tempo; Diego, do Flamengo, aos 43 minutos do primeiro tempo; Gabigol, do Flamengo, aos 34 minutos do segundo tempo

Boavista: Klever, Wellington Silva, Douglas Pedroso, Elivelton e Jean; Fernando Bob, Erick Flores, Jefferson Renan e Michel (Thiago Mosquito); Tartá (Vitor Faísca) e Caio Dantas
Técnico: Paulo Bonamigo

Flamengo: César, João Lucas, Gustavo Henrique, Leo Pereira e Renê; Thiago Maia (Willian Arão), Diego (Everton Ribeiro), Vitinho (Gerson), Michael, Gabigol e Pedro
Técnico: Jorge Jesus

Flamengo