PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cássio admite regras de Tiago Nunes, mas nega insatisfação do elenco

Cássio durante o clássico São Paulo e Corinthians, no Morumbi, no último sábado - Alan Morici/AGIF
Cássio durante o clássico São Paulo e Corinthians, no Morumbi, no último sábado Imagem: Alan Morici/AGIF

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/02/2020 13h36

O goleiro Cássio admitiu que o técnico Tiago Nunes impõe regras e nova metodologia de trabalho, no CT Joaquim Grava, mas nega qualquer insatisfação do elenco do Corinthians com o treinador. Ontem (20), o Globoesporte.com revelou que algumas regras do técnico incomodam os jogadores.

Cássio considera a "cartilha" de Tiago Nunes comum, citou o futebol europeu como exemplo, e não dúvida que alguém no clube possa desgostar das regras, porém, o capitão corintiano ficou chateado com a repercussão e disse que "uma pessoa" não significa todo o elenco alvinegro.

"Eu creio que toda a repercussão foi desnecessária, se for pegar o que foi falado, acho que teve muita repercussão numa coisa desnecessária. Se falou do elenco. Muitas vezes falam que a imprensa faz isso e aquilo e é uma pessoa. Acho que se deu repercussão, mas professor Tiago é muito aberto em conversa, faz tempo que tem regras aqui e tem que ser cumpridas. Incômodo com jogador não tem, é minha nona temporada, procurei ser o mais honesto. Já briguei para não cair, times vitoriosos, nunca tivemos problemas. Não tem problema, falo como representante do grupo que o Tiago vai nos levar a títulos", disse Cássio.

O UOL Esporte havia revelado, na semana passada, que Tiago Nunes já era considerado uma espécie de "bom chato" no Corinthians, mas que sua cobrança e ritmo de treinos não incomodava o elenco o corintiano.

O goleiro e ídolo corintiano também falou sobre as regras do jantar. Cássio admitiu que todos os atletas precisam comer juntos, mas que a liberação não depende só dele e, sim, dos atletas mais experientes do elenco.

"Não existe cartilha para ir dormir. Existe horário. Treinamos agora e vamos concentrar. Não tem horário para comer meio-dia, tem horário 6 horas da noite. Mas te mata ficar meia hora sem usar telefone ou ter o respeito? Vocês falam muito que o jogador mais novo tem que ter disciplina, é isso, tem que ter regras. Não podemos jantar às 19h e ficar sem celular, e ficar conversando? Todo mundo hoje em dia quer ficar no celular, no videogame, até com a sua esposa", disse.

"Não é que fiquei bravo, é que falaram coisa que não existe, que tem que jantar todo mundo junto, não sou só eu que libero, são os que estão mais tempo, existe uma hierarquia: "Está liberado". Quando vamos falar de premiação, sou eu, Love, Gil, não é porque tenho a tarja que eles não são mais capitães. Tem uma confiança de todos. Entendo um pouco, pois vocês não participam do nosso dia a dia e não sabem o que acontece no vestiário", completou.

O Corinthians realizou hoje o último treino antes do jogo contra o Água Santa, amanhã (22), às 15h (de Brasília), em Diadema, pela sétima rodada do Campeonato Paulista.

Confira entrevista de Cássio na íntegra:

Acho que toda a repercussão foi desnecessária, se for pegar o que foi falado, acho que teve muita repercussão numa coisa desnecessária. Se falou do elenco. Muitas vezes falam que a imprensa faz isso e aquilo e é uma pessoa. Acho que se deu repercussão, mas professor Tiago é muito aberto em conversa, faz tempo que tem regras aqui e tem que ser cumpridas. Incômodo com jogador não tem, é minha nona temporada, procurei ser o mais honesto. Já briguei para não cair, times vitoriosos, nunca tivemos problemas. Não tem problema, falo como representante do grupo que o Tiago vai nos levar a títulos.

Sobre as refeições juntos

Joguei na Holanda e é normal lá sentar na mesa. Na Holanda eu só podia comer quando treinador autorizava e saía com aval do capitão. Antes tinha rodízio e hoje sou capitão, mas todos têm voz ativa. Até teve brincadeiras de "posso ir no banheiro", foi desnecessária a matéria, tão criando ambiente onde todo mundo se gosta, outros falaram de problema com treinador. Como muda jeito de jogar tão rapidamente e intensidade de treinos é alta. Acho que algumas coisas ditas foram desnecessárias, tenta criar um conflito onde não tem. Temos que nos blindar a isso, ambiente é bom, temos confiança no treinador, falo de coração, sou verdadeiro.

Ainda sobre a repercussão

Até fiquei chateado, a matéria não fala se foi uma pessoa específica, de repente foi essa pessoa e não o grupo todo, fica uma situação chata, não está acontecendo. Tem regras sim, mas somos funcionários como qualquer pessoa. Não pode botar conflito com treinador, pois não existe. A gente confia que ele vai nos ajudar. Se tem de fazer algo, somos funcionários. Repercussão foi desnecessária.

Sobre o atual momento do Corinthians

Fomos eliminados pelo Guaraní jogando bem, não pode criar bola de neve onde não existe. Jogamos em time de massa, já aconteceram outras especulações que não aconteceram. Temos uma união muito boa, falamos para os jogadores novos como funcionam, nosso ambiente é bom, somos sempre francos, ficamos chateados pela repercussão e pela maneira como foi colocada, falo por mim, não é verdade, é uma mentira.

Sobre concentração e respeito aos horários

Não existe cartilha para ir dormir. Existe horário. Treinamos agora e vamos concentrar. Não tem horário para comer meio-dia, tem horário 6 horas da noite. Mas te mata ficar meia hora sem usar telefone ou ter o respeito? Vocês falam muito que o jogador mais novo tem que ter disciplina, é isso, tem que ter regras. Não podemos jantar às 19h e ficar sem celular, e ficar conversando? Todo mundo hoje em dia quer ficar no celular, no videogame, até com a sua esposa.

Sobre liderança

Não é que fiquei bravo, é que falaram coisa que não existe, que tem que jantar todo mundo junto, não sou só eu que libero, são os que estão mais tempo, existe uma hierarquia: "Está liberado". Quando vamos falar de premiação, sou eu, Love, Gil, não é porque tenho a tarja que eles não são mais capitães. Tem uma confiança de todos. Entendo um pouco, pois vocês não participam do nosso dia a dia e não sabem o que acontece no vestiário

Há jogadores incomodados?

Falo pelo grupo de jogadores. Sobre essa situação, se alguém não está, não acho que todo mundo tem que concordar com tudo, mas há regras no trabalho de todos. E é uma coisa tão normal no dia a dia para o nível que ficou. Falaram em questão do horário, de esperar meia hora o seu companheiro para jantar, é algo tão pequeno. Difícil até responder, honestamente. Se tiver um jogador focado e com objetivos, isso é tão pequeno. São tantas dificuldades para chegar até aqui. Do meu ponto de vista, é uma coisa muito pequena. Cada um pode falar o que bem quer.

Permissão para deixarem a mesa das refeições

Esse negócio do almoço vem do Flórida Cup. Nós que fomos falar. Quando todo mundo acabar a refeição, todos saem. Todo mundo jantou? beleza. Não é o Cássio tem que liberar, não sou eu que determino. É engraçado, vou ficar olhando para o prato dos caras: "Já acabou, já acabou.." É uma coisa pequena. Por isso o Corinthians é o maior do Brasil, um time sem expressão não falariam disso, tentam achar uma situação. Estamos almoçando com horários pré-determinados, mas é normal, pergunta para o Caio (Ribeiro), para quem jogou fora do Brasil. Lá fora é uma regra. Na Holanda uma vez cheguei cinco minutos atrasado no treino, cheguei 9h05, o treinador me falou que na outra semana eu tinha que chegar às 7h30. Mas tem total liberdade, tem crianças aqui, família, sempre unidos. Vim aqui porque alguém tinha que vir. Mas criaram algo que não existe.

Sobre treinos em dias de jogos

Mas não são em todos os jogos que tem, mas é uma filosofia do treinador. Para ser honesto, é um alongamento, ou um posicionamento, uma situação de jogo. Mas nada de anormal, não é tiro de mil, coletivo, ele vem treinando a semana para a gente chegar no jogo 100%.

Existe alguma mentira no que foi publicado?

Creio que não, muitas coisas não são verdade em matérias. Tem regras, temos que comer todo junto, não sou eu que decido a hora, é a hora que terminam de comer. Nós jogadores que falamos com Tiago para a gente ter convívio, tem jogador chegando. Tem trote, tem risada Fiquei um pouco chateado da maneira que foi colocada. Parece que é um exército, que estamos indo contra o que o treinador pede, não foi legal o jeito que foi colocado. Depois deu repercussão maior, não é uma cosia forçada. Mas cada treinador tem uma maneira de trabalhar. Temos que nos adequar. Fomos eliminados, ok, mas o nível de futebol vem melhorando. Não temos a menor dúvida que Tiago nos fará chegar aos nossos objetivos, a maneira de gerir o grupo, tem o mesmo tratamento comigo, Gil e Fagner, que são os mais velhos, com os outros. Não existe nada com o treinador, vamos embora.

Sobre a postura de Tiago Nunes

Geralmente esse negócio de sentar...na seleção, na Copa do Mundo, nas convocações, é sempre assim. Na seleção todas as refeições tem isso, os próprios jogadores pedem para fazer atividade no dia de jogo. Tem horário e só pode levantar quando acabam. Isso é normal na seleção brasileira, foi assim em todas as convocações, horário de comer.

Hierarquia no elenco

Vou até mais fundo, vi um vídeo do treinador do Guarani de Campinas, vi um vídeo dele falando que a gente cobra muito que os mais novos tenham regras, e ele fala que o jogador que vem da base, em vez de olhar o treino do profissional, ele está preocupado em videogame, no pebolim, e antigamente era difícil, quantas vezes eu esperava o mais velho entrar para eu escolher a cama, controle remoto? Não pegava. Ar-condicionado? Jamais. Essas regras são para ajudar o cara, para aprendizado. Estou sendo aberto. Já briguei com vocês, cresci, evoluí, tudo é aprendizado. Não vejo nada de incômodo ou insatisfação. Vemos o nível de comprometimento, o treino mostra o quanto você correu. Essa matéria gerou muito mais do que o necessário.

Água Santa

Importante a vitória, está chegando na reta final do campeonato, temos que nos consolidar, buscar a liderança, jogo difícil em Diadema. Vamos em busca da vitória lá, fizemos um bom clássico e agora é dar sequência no trabalho. Se pudermos classificar em primeiro, teremos melhores chances lá na frente.

Jogo com os pés

Professor ajudou bastante nisso. No ano passado, com Leandro e João, já tinha um pouco disso com Coelho, mas agora com Tiago, Carpes e Luiz começamos outro. Vê nos números. Antes tinha dez passes no jogo, hoje tenho de 27 a 30 por jogo. Estou confortável, o time tem dado opção para jogar, Tiago tem cobrado, tenho sido bem confiante, não tenho medo de jogar. Mas é um processo, você tem de evoluir e crescer. Tem acontecido coisas boas e temos muito a evoluir.

Mudança no seu treinamento?

A gente tem trabalhado, geralmente uma ou duas na semana fazemos um aquecimento mais voltado a isso, fazemos mais trabalhos visando situação de jogo, ser pressionado. É bom, a evolução te faz evoluir. Temos visto vídeos para achar melhores opções para sair jogando. São Paulo pressionou, joguei pouco, mas Yony foi um bom escape, tem muita força. Tenho evoluído, mas tenho margem para evoluir. Estou bem feliz, é uma coisa nova, um desafio novo, e quando a gente tem vontade de evoluir fica mais fácil.

Futebol