PUBLICIDADE
Topo

O que muda no Fluminense com estreias de reforços contra o Botafogo

Ganso está de volta ao Fluminense e deve fazer estreia em 2020 contra o Botafogo - Lucas Merçon/Fluminense FC
Ganso está de volta ao Fluminense e deve fazer estreia em 2020 contra o Botafogo Imagem: Lucas Merçon/Fluminense FC

Alexandre Araújo, Bernardo Gentile e Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

07/02/2020 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense ganhou importantes jogadores para o clássico com o Botafogo neste domingo, no Maracanã, na última rodada da Taça Guanabara. Após ter uma pré-temporada prolongada para fazer um trabalho de reequilíbrio muscular, Ganso está de volta. Além disso, o Tricolor também conta com reforços para esse primeiro turno do Campeonato Carioca.

Wellington Silva já está regularizado e pode, inclusive, fazer sua reestreia contra o Botafogo neste domingo. Fernando Pacheco, por sua vez, ainda precisa que o Fluminense receba um documento para enviar à FFERJ (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) até o fim do dia (7) para contar o com atleta no clássico. Caso contrário, como já foi inscrito, basta resolver as pendências para utilizá-lo nas semifinais ou final de turno.

Os atacantes chegam ao Fluminense para dar mais opções ao técnico Odair Hellmann e auxiliar em um ponto no qual a equipe vem encontrando dificuldades neste começo de temporada: velocidade na transição e criação pelas pontas.

Recentemente, o treinador tricolor tem dado sinais de insatisfação nestes dois quesitos e os testes que fez em busca de suprir tais necessidades não deram certo — Yago e Matheus Alessandro não conseguiram render o esperado pela comissão técnica.

"São poucos jogos nesse sentido para fazer, mas muda a característica, você consegue ter um cara que tem uma movimentação de armação e outro para dar profundidade. Talvez com dois jogadores com características de meias, os dois produzam essa sensação de movimento muito próximos e a gente quer um pouquinho de profundidade. Mas isso também precisa de tempo para treinar. Eu preciso ter os caras juntos, os caras à disposição para a gente ir criando esse tipo de movimento dentro de campo", indicou Hellmann, após a partida contra o Unión La Calera, do Chile, pela Sul-Americana.

Os nomes de destaque neste início de temporada foram Miguel, Nenê e Hudson, mas todos com ponto forte a atuação pelo meio. Assim, a equipe vem encontrando certa dificuldade em achar os espaços no setor defensivo dos adversários. Tanto Fernando Pacheco quanto Wellington Silva têm características de jogo que podem ajudar a montar o quebra-cabeça imaginado pelo comandante, tornando-se importantes no atual cenário:

"É continuar fazendo as coisas boas e evoluir naquilo que a gente precisa evoluir, o mais rápido possível, com tempo ou sem tempo para treinar. A gente precisa encontrar, vai encontrar e está encontrando fórmulas e soluções para que a gente possa sempre melhorar, estancar uma situação de dificuldade."

Além dos atacantes com característica de velocidade, Odair Hellmann também terá o retorno de Ganso. Ele realizou uma pré-temporada mais longa em busca de um reequilíbrio muscular. O camisa 10 voltou a treinar ontem (6) e pode regressar já diante do Botafogo.

Mesmo sem ser veloz, o jogador é visto como alguém que dá dinâmica ao jogo com passes rápidos. Algo similar ao que diz o velho ditado: "quem corre é a bola". Ganso, portanto, volta ao time com o objetivo de dar nova dinâmica ao Fluminense.

Houve ainda os satisfatórios retornos de Marcos Paulo e Evanilson, o que dá a Odair respaldo para realizar mudanças no esquema tático que vinha sendo utilizado e dar uma nova cara ao setor ofensivo, que vem causando mais "dor de cabeça".

Fluminense