PUBLICIDADE
Topo

Pré-Olímpico: Brasil empata com Uruguai em jogo de 'frangos' e se complica

Pedrinho em ação pela selação brasileira contra o Uruguai no Pré-Olímpico - Luisa Gonzalez/Reuters
Pedrinho em ação pela selação brasileira contra o Uruguai no Pré-Olímpico Imagem: Luisa Gonzalez/Reuters

Danilo Lavieri

Do UOL, em Bucaramanga (COL)

06/02/2020 21h50Atualizada em 07/02/2020 00h28

O Brasil se complicou na luta por uma vaga em Tóquio-2020. Em jogo com poucas oportunidades de gol nesta quinta-feira (6), em Bucaramanga, na Colômbia, a equipe de André Jardine ficou no 1 a 1 com o Uruguai em uma partida marcada por falhas dos dois goleiros no Pré-Olímpico.

No final, poucas chances de ambos os lados, e o placar só foi alterado por dois gols completamente defensáveis. Primeiro, Ivan aceitou chute de longe de Ugarte desviado em Bruno Fuchs e, depois, Arruabarrena colocou a bola para dentro de seu próprio gol após cabeçada de Pedrinho.

Agora, a seleção tem dois pontos e vai bastante pressionada para a última rodada diante da Argentina, que já está classificada com seis pontos após a vitória em cima da Colômbia. O time precisa vencer no domingo, a partir das 22h30, para não depender de combinação de resultados. Dependendo dos critérios de desempate, o time pode se classificar até com derrota caso colombianos e uruguaios fiquem no empate no jogo marcado para começar 20h.

O pior do Brasil: Ivan

Depois de ter sido um dos melhores da última partida contra a Colômbia, com duas defesas importantes, o goleiro da Ponte Preta falhou feio e só não viu o Brasil perder porque seu companheiro uruguaio de profissão devolveu o presente, em erro ainda mais bizarro.

O melhor do Brasil: Bruno Guimarães

O meio-campista não brilhou da forma que se acostumou em 2019 e até mesmo no início do Pré-Olímpico, mas seguiu buscando jogo, distribuindo as bolas e tentando desafogar o time brasileiro.

Ivan dá um presente para o Uruguai...

O jogo estava morno, com os goleiros trabalhando pouco. Os dois times conseguiam criar pouco e, então, começaram a arriscar de longe. Matheus Henrique deu um belo chute de fora da área, mas não fez o suficiente. No lance seguinte, foi a vez de os uruguaios fazerem o mesmo e serem fatais. Ugarte chutou de fora da área, a bola desviou em Bruno Fuchs e foi em cima de Ivan. O goleiro do Brasil, no entanto, aceitou e deixou a Celeste sair à frente no placar.

O Uruguai devolve o presente para o Brasil...

Uruguai - Luisa Gonzalez/Reuters - Luisa Gonzalez/Reuters
Imagem: Luisa Gonzalez/Reuters

Logo depois de tomar o gol, o Brasil partiu com tudo para o ataque em busca do empate. Foi então que Iago cruzou e achou Pedrinho. O corintiano cabeceou no chão e viu Arruabarren fazer uma defesa que parecia tranquila. Só aparentemente... Ao se levantar, ele deixou a bola escapar e colocou contra o próprio gol. Um gol contra daqueles. Sem nem entender direito, o Brasil comemorou o empate.

Nino toma amarelo e vira desfalque contra Argentina

Como se não bastassem as dificuldades de acertar a zaga, o Brasil vai ter desfalque para a partida decisiva contra a Argentina. Nino estava pendurado, tomou mais um amarelo e não jogará a última rodada. Bruno Fuchs também entrou em campo pendurado, mas não foi advertido. As opções para o clássico serão Ricardo Graça ou Robson Bambu.

Jardine dá chance para Pepê e centraliza Paulinho

Paulinho - Luisa Gonzalez/Reuters - Luisa Gonzalez/Reuters
Imagem: Luisa Gonzalez/Reuters

Com o relógio perto dos 20 minutos do segundo tempo, André Jardine resolveu mexer no time. Pepê entrou no lugar de Pedrinho, o que fez Paulinho atuar centralizado. Pouco depois, ele fez uma nova substituição, tirando Matheus Henrique para a entrada de Igor Gomes, jogando o time mais para frente.

As substituições não surtiram efeito imediato, e o Brasil seguiu com pouca efetividade no campo ofensivo. Em um cruzamento isolado, Matheus Cunha teve grande chance de virar o jogo, mas parou no goleiro. Faltando pouco menos de dez minutos, a alteração foi a entrada de Reinier no lugar de Paulinho.

Jardine - Luisa Gonzalez/Reuters - Luisa Gonzalez/Reuters
Imagem: Luisa Gonzalez/Reuters

Auxiliar de Tite vai a vestiário e assiste a jogo da tribuna

Depois de ser observada de perto por Tite, a seleção sub-23 foi novamente acompanhada por representantes da principal. Desta vez, foi Cleber Xavier que esteve no Estádio Alfonso López para seguir os jovens. Ele foi ao vestiário antes de a bola rolar e, depois, subiu para as tribunas para assistir ao clássico sul-americano.

FICHA TÉCNICA

BRASIL 1 x 1 URUGUAI

Data: 6 de fevereiro, quinta-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Competição: Pré-Olímpico (segunda rodada do quadrangular)
Local: Estádio Alfonso López, em Bucaramanga, Colômbia
Árbitro: Eber Aquino (Paraguai)
Assistentes: Juan Zorrilla e Dario Gaona (ambos do Paraguai)
Cartões amarelos: Nino (Brasil); Piquerez (Uruguai)

Gols: Ugarte, aos 34, e Arruabarrena [contra], aos 39 minutos do primeiro tempo

BRASIL: Ivan; Guga, Bruno Fuchs, Nino e Iago; Matheus Henrique (Igor Gomes), Bruno Guimarães e Pedrinho (Pepê); Antony, Paulinho (Reinier) e Matheus Cunha. Técnico: André Jardine

URUGUAI: Arruabarrena; Rodríguez, Gularte, Laborda e Oliveros; Ugarte (Acevedo), Sanabria, Rossi, e Piquerez; Ramírez (Arezo) e Viñas (Rodríguez). Técnico: Gustavo Ferreyra

Seleção Brasileira