PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Por que Matheus Cunha trocou o líder do alemão pelo 13º colocado?

Matheus Cunha comemora gol pela seleção brasileira contra o Uruguai no Pré-Olímpico - Lucas Figueiredo/CBF
Matheus Cunha comemora gol pela seleção brasileira contra o Uruguai no Pré-Olímpico Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Danilo Lavieri

Do UOL, em Armênia (Colômbia)

31/01/2020 12h04

O Hertha Berlim confirmou hoje (31) que contratou Matheus Cunha, do RB Leipzig. Como já havia adiantado o UOL Esporte, a negociação foi fechada por 20 milhões de euros (quase R$ 95 milhões) e um contrato de quatro anos e meio, com contrato assinado na noite de ontem (30). Mas afinal, por que o artilheiro da seleção brasileira sub-23 trocou o líder do Alemão pelo 13º colocado?

No aspecto esportivo, o atacante gostaria de ter mais chances como titular. Depois de jogar 39 vezes em 2018/19 e fazer oito gols, ele só tinha feito 13 jogos do meio do ano para cá, sendo apenas dois deles como titular.

No Hertha, Matheus entende que terá espaço porque tem a confiança de Jürgen Klinsmann. O ex-jogador e agora treinador da equipe ligou para o brasileiro e explicou por que gostaria de contar com ele para a temporada. Vale lembrar que o atleta de 20 anos sabe falar italiano, alemão, espanhol e inglês.

Além disso, a contratação foi bancada por um investidor que tem apostado alto no Hertha Berlim. Não à toa, além de Matheus, a equipe contratou nesta janela do início do ano o atacante Piatek, do Milan, e o meio-campista Lucas Tousart, do Lyon, consideradas contratações de impacto.

Por conta deste investimento, o brasileiro ainda conseguiu uma valorização salarial e deixará o Pré-Olímpico diretamente para a capital do país para ser apresentado como reforço.

Matheus tem 11 gols em 13 jogos no Projeto Olímpico e só não jogará como titular hoje, diante do Paraguai, porque André Jardine vai colocar a equipe reserva em campo para rodar o elenco.

Seleção Brasileira