PUBLICIDADE
Topo

São Paulo é liderado por Dani e Bueno e estreia no Paulistão com vitória

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

22/01/2020 23h25

Classificação e Jogos

O São Paulo abriu o ano com uma vitória segura na noite de hoje (22) no Morumbi. A rodada de abertura do Campeonato Paulista terminou com um 2 a 0 sobre o Água Santa construído com boas virtudes trabalhadas por Fernando Diniz na pré-temporada, mas ainda com menos ímpeto ofensivo do que o técnico deseja. O foco agora está no clássico de domingo contra o Palmeiras.

Os gols foram marcados ainda no primeiro tempo por Pablo, com assistência de Vitor Bueno, e Daniel Alves. O Tricolor, com Tchê Tchê e Hernanes, mostrou bom toque de bola. Na defesa foi pouco incomodado, ainda que uma torcida organizada tenha xingado Arboleda devido à foto que viralizou, em dezembro, em que estava com uma camisa palmeirense. Reinaldo, que seria titular, não jogou porque foi liberado para acompanhar o nascimento da filha. Léo foi acionado de última hora e não comprometeu.

O resultado deixa o São Paulo na liderança do Grupo C, pelo menos até o Mirassol entrar em campo amanhã contra a Ferroviária. O duelo com o Palmeiras está marcado para as 16h de domingo na Fonte Luminosa, em Araraquara —o rival está finalizando a troca do gramado do Allianz Parque. Já o Água Santa, que está no Grupo A, entra em campo novamente às 15h de sábado contra o Novorizontino.

O melhor: Vitor Bueno

O camisa 12 é, com alguma sobra, o jogador mais eficiente do ataque do São Paulo desde a chegada de Fernando Diniz. Bueno já havia sido artilheiro do time no Campeonato Brasileiro e hoje foi essencial nos dois gols do São Paulo, ambos no primeiro tempo. A assistência para Pablo, no tento que abriu o placar, foi um exemplo do que Diniz quer para quebrar linhas de marcação. No segundo gol, deu opção a Daniel Alves e devolveu passe de primeira para o astro, deixando os marcadores vendidos e no contrapé.

O pior: Dinei

Velho conhecido do futebol paulista, já que passou pelo Palmeiras no início dos anos 2010, o centroavante do Água Santa foi presa fácil para Bruno Alves, se movimentou pouco e ainda atrapalhou as tentativas de apertar a marcação sobre a saída de bola do São Paulo.

Atuação do São Paulo

Diniz - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Fernando Diniz gostou de alguns sinais de evolução mostrados pelo São Paulo. A troca de passes rápidos na intermediária ofensiva, coordenados sempre por Daniel Alves e Hernanes, minou a marcação que parecia eficiente do Água Santa.

Mas a grande virtude do Tricolor hoje foi a paciência para atrair o rival, que pensava estar pressionando a saída de bola, e de repente acelerar a transição com os passes verticais de Bruno Alves e as arrancadas de Tchê Tchê e Dani. O maior exemplo disso foi o segundo gol, marcado pelo próprio Dani, que começou com o Água Santa marcando pressão com sete atletas e terminou com um ataque de sete contra quatro do São Paulo. A defesa, como tem sido habitual desde 2018, foi firme.

Atuação do Água Santa

A equipe treinada pelo novato Fernando Marchiori tentou uma estratégia pouco usual no futebol brasileiro, principalmente em encontros de times de menor expressão com os grandes nos Estaduais. Em vez de recuar todo o time, ele prezou pela formação de um bloco mais adiantado e bem compactado.

Era como se fosse uma retranca mais ousada, tentando tirar a linha de passe inicial do São Paulo e buscar contragolpes a partir de possíveis erros tricolores. A tática tornou o jogo são-paulino mais lento no primeiro tempo, mas foi minada quando Diniz ajustou a saída de bola cobrando toques mais rápidos.

Cronologia do jogo

O São Paulo afastou qualquer chance de desespero da torcida logo no primeiro jogo da temporada ao conseguir abrir o placar cedo na noite chuvosa de hoje. Aos cinco minutos, Pablo aproveitou linda assistência de Vitor Bueno pela esquerda, limpou para o meio e bateu colocado com estilo. Depois disso, o São Paulo se tornou mais lento, um tanto quanto acomodado à primeira vista.

Era, na verdade, uma ideia para controlar posse de bola sem desgastar o time e atraindo o Água Santa para uma ilusória marcação adiantada. Bastou acelerar um pouco a troca de passes na defesa, com muitos méritos a Bruno Alves e Tchê Tchê, para que a tática dos visitantes desmoronasse.

Os dois resolveram uma dessas pressões e, aos 43 minutos, entregaram a bola para Daniel Alves com campo aberto para arrancar. O camisa 10 tabelou com Bueno e bateu duas vezes, a segunda de esquerda, para ampliar a vantagem tricolor e amenizar a desconfiança dos torcedores.

Daniel Alves - Alan Morici/AGIF - Alan Morici/AGIF
Imagem: Alan Morici/AGIF

No segundo tempo, mais chances foram criadas, com bons chutes de Hernanes, Helinho e Dani. Diniz ainda aproveitou para mexer no time e lançou Alexandre Pato, Liziero e Brenner, que mantiveram a atuação segura do time.

Pablo repete 2019 e larga o ano com gol. Nova história?

Pablo - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Assim como na primeira rodada do Paulistão de 2019, quando marcou sobre o Mirassol, Pablo largou no Estadual desta temporada com gol. O atacante foi artilheiro do time no ano passado com apenas sete gols e fez muitas críticas ao próprio desempenho técnico. O gol de hoje teve sua marca dos tempos de Athletico. Recebeu em velocidade entre volantes e zagueiros, limpou e chutou colocado no canto esquerdo baixo. A meta agora é sofrer menos lesões e deixar o pior ataque da história do São Paulo no passado.

Organizada xinga Arboleda, mas é abafada pelo resto da torcida

A Torcida Independente puxou dois coros de xingamentos a Arboleda, que nas férias foi fotografado vestindo uma camisa do Palmeiras e acabou multado pela diretoria. Só que a maioria da torcida no Morumbi vaiou a atitude da uniformizada e rapidamente puxou gritos de incentivo ao zagueiro equatoriano. Por outro lado, Bruno Alves foi saudado antes de partida para celebrar a marca de 100 jogos pelo São Paulo. Ele recebeu uma camisa enquadrada das mãos dos dirigentes Raí e Diego Lugano.

Apesar de vitória, estreia tem protestos e problemas com ingressos

São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF - Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

A noite só não foi mais tranquila para o São Paulo porque alguns incidentes tumultuaram o período antes da partida. Na frente do portão principal do Morumbi, torcedores organizaram protesto com faixas que pediam a renúncia do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e a saída de conselheiros.

Já nas entradas de diversos setores do estádios houve reclamações sobre o atendimento a quem comprou o pacote de ingressos para nove jogos —seis do Paulistão e três da Copa Libertadores da América. As filas destinadas a quem aderiu à promoção eram maiores e mais demoradas devido a uma falha no sistema, que não reconhecia o cadastro das pessoas no programa de sócio-torcedor. Houve quem entrasse com o jogo já em andamento.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 X 0 ÁGUA SANTA

Data: 22 de janeiro de 2020, quarta-feira
Horário: 21h30 (horário de Brasília)
Competição: Campeonato Paulista (1ª rodada)
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Público: 18.493 (total)
Renda: R$ 523.613,00
Árbitro: Edina Alves Batista
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Marco Antônio de Andrade Mota Júnior
Cartões amarelos: Alexandre Pato (São Paulo); Uéderson (Água Santa)

Gols: Pablo, aos cinco minutos, e Daniel Alves, aos 41 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Léo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes (Liziero); Helinho (Alexandre Pato), Vitor Bueno e Pablo (Brenner). Técnico: Fernando Diniz

ÁGUA SANTA: Thomazella; Luis Ricardo, Walisson Maia, Andrés Robles e Jonathan; Wellington Reis, Pio (Velicka), Robinho (Luan Dias) e Marquinho e Felipe Azevedo; Dinei (Uéderson). Técnico: Fernando Marchiori

São Paulo