PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

'Foi o primeiro clube que veio atrás', revela G. Henrique sobre Flamengo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

03/01/2020 20h26

Anunciado na noite de hoje (3) pelo Flamengo no mercado da bola, o zagueiro Gustavo Henrique falou sobre a disputa por posição que vai encontrar no time comandado pelo técnico Jorge Jesus, que atualmente tem Rodrigo Caio e Pablo Marí como dupla titular. O jogador comentou ainda os motivos de ter escolhido assinar com o Rubro-Negro e revelou que o clube o procurou há meses, quando restavam seis meses para terminar o vínculo com o Santos e ele já poderia assinar um pré-contrato.

Ele salientou ainda que a situação para a liberação do Peixe, clube com o qual tem vínculo até o fim desse mês, ainda não está totalmente resolvida.

"Fiquei muito feliz. Já tínhamos acertado os detalhes. Espero que dê tudo certo nessa nova caminhada. Independentemente do clube em que eu estiver, vou dar o meu melhor e disputar posição. Vou respeitar muito meus companheiros. Vai ser uma disputa sadia e só o Flamengo tem a ganhar com isso. Vou ser mais um e vou procurar fazer o meu melhor para ajudar", disse, em entrevista exclusiva à ESPN Brasil, Gustavo Henrique, que completou:

"Meu desafio será dar o meu melhor no dia a dia, como fiz no Santos. Eu me cuido muito, me cobro muito. No Flamengo, vai ter essa pressão de ganhar cada vez mais e vou querendo ganhar títulos. É um desafio individual e coletivo, um leva ao outro. Meu pensamento é, primeiramente, o grupo. Vou buscar meu espaço, respeitando muito o Rodrigo [Caio], o [Pablo] Marí e os outros zagueiros".

O reforço do Fla não escondeu que tinha o desejo de ir para a Europa, mas se mostrou entusiasmado com o projeto apresentado.

"Tempos atrás, o Flamengo foi o primeiro clube que veio atrás de mim, quando eu podia assinar um pré-contrato. Na minha cabeça, eu já tinha planejado que sairia do Santos. Tinha um desejo maior, como todo mundo sabe, de ir para a Europa, mas não chegou nada. Optei em ir para o Flamengo, que foi o que mais me procurou e mostrou um projeto novo. Tiveram outros clubes interessados, mas optei pelo Flamengo", apontou.

Gustavo Henrique apontou que ainda há conversas para saber se a diretoria do Santos vai liberá-lo de cumprir o restante do contrato para se apresentar antes do Flamengo.

"Tenho contrato até o final de janeiro e, se depender de mim, vou cumprir. Sempre vou ser grato ao Santos. Da minha parte, quero sair pela da frente. Foram 13 anos aqui, metade da minha vida, mas já estamos conversando com o presidente para ver o que vai fazer, se vai me liberar ou não. Vou deixar isso nas mãos deles".

Veja outros tópicos da entrevista

Sampaoli

"Sampaoli me ajudou muito, foi muito importante, me ajudou muito na saída de bola. Realmente, foi um ano muito bom, não só para mim, mas também para o Santos. Queríamos os títulos, mas dava gosto de ver o Santos jogar. [Sampaoli] Pedia isso, que começasse de trás, com o toque de bola, com protagonismo. Isso o Flamengo também busca".

Jorge Jesus

"Estou muito feliz e motivado para isso [trabalhar com Jesus]. É um grande treinador, fez um grande trabalho, foi muito grandioso. O Sampaoli cobrava muito da gente e, pelo jeito, o Jesus também é assim. Isso é bom para o crescimento do atleta. Espero que possa contribuir".

Estilo de marcação

"No Santos, já tínhamos isso também. Trabalhávamos muito a linha alta, pressão após a perda da bola. Aprendi muita coisa. O primeiro e segundo colocado [do Campeonato Brasileiro, Flamengo e Santos, respectivamente] jogam assim, sempre com a bola, pressionado o adversário. Quanto mais tiver a bola, mais chance tem e menos o adversário tem".

Polêmica com o empresário

"Primeiramente, quando eu podia assinar um pré-contrato, o Flamengo foi o primeiro a fazer proposta, que foi trazida por outra pessoa. Não tenho contrato assinado com meu ex-agente, outras pessoas poderiam trazer [proposta]. No caso, eu não poderia conversar porque ainda era jogador do Santos e estava focado nisso. Então, pedi ao meu pai para acompanhar, escutar a proposta e valores porque eu não poderia deixar passar essa oportunidade. Eu tinha o desejo de ir para a Europa, mas precisava de uma resposta e fui dando prazos, não aconteceu e eu acabei resolvendo isso. Faltava um mês de contrato e eu não poderia trocar o certo pelo duvidoso. Mas pedi metade da comissão a ele (ex-agente), apesar de não ter sido ele a trazer a proposta, mas pela gratidão. Acho que ele, talvez, tenha ficado chateado por isso. E à torcida do Santos, eu sempre me dediquei muito a esse clube. Mas era uma necessidade minha de buscar outras coisas. Eu já estava mentalizando que queria sair e fiquei chateado por ter sido procurado faltando apenas três meses para o contrato acabar. O Flamengo, para mim, foi a melhor opção".

Flamengo