PUBLICIDADE
Topo

Fora dos planos, quarteto custará mais de R$ 25 mi ao Bota até fim de 2021

Diego Souza está fora dos planos e tem o maior salário do Botafogo até o fim de 2021 - VITOR SILVA/BOTAFOGO
Diego Souza está fora dos planos e tem o maior salário do Botafogo até o fim de 2021 Imagem: VITOR SILVA/BOTAFOGO

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

19/12/2019 04h00

Diego Souza, Cícero, Carli e Valência estão fora dos planos do Botafogo para a próxima temporada. O clube tentará fazer acordos com os atletas, que, com exceção do chileno, têm contrato de dois anos pela frente. Caso o quarteto decida seguir no Nilton Santos, o Alvinegro terá um custo que chegará a R$ 25,3 milhões até 2021. A diretoria tentará acordo e promete jogo duro para resolver a situação.

O centroavante é quem lidera o investimento feito pelo Botafogo. Entre direito de imagem e CLT, Diego Souza tem R$ 11,4 milhões para receber até o fim do contrato, em 2021. Vale ressaltar que o vínculo do centroavante com o São Paulo se encerra neste ano e, consequentemente, o salário será pago integralmente pelo Alvinegro a partir de janeiro.

O segundo da lista é Joel Carli, que teve contrato renovado automaticamente por causa de uma cláusula de participação. Assim, viu o vínculo aumentar para o fim de 2021. O alto salário gera um custo de R$ 6,4 milhões enquanto for jogador do Botafogo. Fora dos planos, o estafe procura clubes interessados, mas o preço mensal tem dificultado as conversas.

Cícero não fica muito atrás. Serão R$ 5,8 milhões a serem pagos pelo Botafogo até o fim do contrato em 2021. Assim como Diego Souza, está protegido por uma cláusula de renovação automática e dificilmente deixará o clube.

Por fim, o caso mais simples. Leo Valência tem contrato até julho, o chileno tem a receber ainda R$ 1,7 milhão. Vale ressaltar que essa quantia não leva em consideração dívidas de meses atrasados - novembro, dezembro, 13º e férias.

O cenário evidencia alguns problemas no Botafogo. O primeiro e mais evidente é como o clube tem feito contratos com jogadores que não são bons ao clube. Outro é a falta de um perfil a ser seguido. Contratado a peso de ouro em março, Diego Souza está fora dos planos após alguns meses. É o preço que se paga, e caro, pelo amadorismo ou profissionais ruins no comando do clube.

Botafogo