Topo

Rubro-negros dominam ruas de Lima e ainda esperam 'resposta' do River

Leo Burlá e Rodrigo Mattos

Do UOL, em Lima (PER)

22/11/2019 09h00

A bola ainda não rolou para a decisão de amanhã (23), mas, nas ruas de Lima, o Flamengo vence o River Plate por goleada antes da finalíssima da Copa Libertadores.

Por onde se olhe nos principais pontos de concentração da capital peruana, a superioridade numérica é rubro-negra. Em Miraflores, principal reduto turístico da capital peruana, a "vitória" rubro-negra é visível. A supremacia dos brasileiros também se nota no aeroporto e outros bairros centrais.

Neste ponto, a mudança de sede de Santiago (CHI) para Lima (PER) foi benéfica para o Fla, que viu os "hermanos" ficarem geograficamente mais distantes do palco do jogo. Se o local fosse mantido, os argentinos teriam mais meios de deslocamento.

As saídas das duas delegações já deram um pouco da medida do envolvimento dos fãs dos dois lados. Se o Ninho do Urubu foi tomado pela euforia absoluta de uma multidão, a vinda do rival rubro-negro para o Peru não gerou tanta mobilização dos torcedores.

Torcedores do Flamengo subiram até em casa de Lima para assistir ao treino do River Plate - Xinhua/Mariana Bazo
Torcedores do Flamengo subiram até em casa de Lima para assistir ao treino do River Plate
Imagem: Xinhua/Mariana Bazo

"Vão perder no campo e também fora dele", brincou o torcedor Marcelo Silva, um dos que fazia a festa na "Rua das Pizzas", local que recebe grande número de rubro-negros desde o início da semana.

Apesar deste triunfo aparente, a tendência é que este clássico fora das quatro linhas seja mais equilibrado. Nas rodas de torcedores do River, há a expectativa que um número enorme chegue ao Peru entre hoje e amanhã (23). Com ambos países mergulhados em dificuldades econômicas, o tamanho da "Nação" vai pesando a favor dos cariocas neste balança até o momento.

Segundo a expectativa, estes veículos transportariam muitos integrantes das barras bravas, o equivalente às organizadas brasileiras. Por ora, brasileiros e argentinos convivem em paz e não há um registro sequer de confusão.

A venda de ingressos, contudo, indica maioria vermelha e preta no Monumental de Lima, já que o Brasil foi o país que mais adquiriu tíquetes para o setor do meio de campo.

Hoje haverá um duelo paralelo para que fãs de Flamengo e River Plate meçam sua popularidade e o tamanho de suas torcidas. Ao passo que os argentinos marcaram um "bandeiraço", os rubro-negros têm um evento promovido pela Fla-Peru, que fechou uma casa de shows para a última grande celebração antes do jogo.

"A mudança nos deixou surpresos e ficamos encarregados de preparar essa festa. Alugamos um lugar para mil pessoas. Estamos com a expectativa de receber uns 800 rubro-negros na sexta-feira, véspera da final", afirmou Jayme da Cunha, fundador da Fla-Peru.

Times fazem ajustes finais

Hoje as duas equipes farão a última atividade antes da partida. Na parte da tarde, os dois elencos reconhecerão o gramado do Monumental de Lima, e haverá entrevistas dos capitães e dos treinadores.

Flamengo