Topo

River se vinga de Tevez com juros e correções após provocação histórica

Carlos Tevez aplaude a torcida do Boca Juniors durante jogo contra o Alianza Lima - Juan Mabromata/AFP
Carlos Tevez aplaude a torcida do Boca Juniors durante jogo contra o Alianza Lima
Imagem: Juan Mabromata/AFP

Do UOL, em São Paulo

23/10/2019 00h17

A difícil missão do Boca Juniors em reverter a desvantagem para o River Plate e chegar até a final da Libertadores fez o time da Bombonera apelar até a uma mística: apostar em Carlos Tevez, aos 35 anos, como fator que poderia mexer com time e torcida na esperança de virar o 2 a 0 da ida.

Com passagem pífia desde que voltou da China, em 2018, o cartão amarelo recebido no ineficaz 1 a 0 na volta foi o fato mais chamativo de sua inoperante atuação diante dos rivais atuais campeões da América. E a apagada partida pode ser uma das últimas, já que sua presença para o ano que vem e incerta.

A saída do Boca no fim do ano, para outro clube, ou até para a aposentadoria, sera símbolo de uma das maiores vinganças que o futebol já pregou entre arquirrivais, com "juros e correção monetária".

Há 15 anos, Tevez foi o protagonista de uma das provocações mais emblemáticas dos históricos Boca x River: imitou uma galinha na frente da torcida rival no confronto semifinal da Libertadores daquele ano que teve o Boca como vencedor. O time amarelo e azul já tinha eliminado o rival 4 anos antes, nas quartas.

Ali parecia um trauma de duas eliminações que dificilmente seria cicatrizado. Mas o River conseguiu virar as eliminações, fazer o rival de freguês e ainda emendar o novo revés ao Boca na frente da torcida dos xeneizes, calada, com Tevez em campo.

O River começou a dar a volta por cima sobre o Boca em 2015, nas oitavas, quando ganhou a ida por 1 a 0 e passou após o jogo de volta não ocorrer pelo episódio do gás de pimenta.

Depois, na mais inesquecível, na final da Libertadores em 2018, no Santiago Bernabeu, o River venceu por 3 a 1, com Tevez em campo, o jogo em que a torcida do time tricolor chama até hoje como o dia em que o rival morreu e jamais esquecerá.

Não bastasse essa, o River ainda teria a eliminação na Bombonera de 2019, na casa de Tevez, como duas seguidas para se vingar do atacante que zombou o time. Dias depois de o irmão do ex-jogador do Corinthians provocar ao dizer que "as galinhas estavam cagadas de medo". Agora resta esperar o futuro do atacante para 2019.

Boca Juniors