Topo

Italiano 2019/2020


Como decifrar o esquema tático peculiar do agora técnico Thiago Motta

Thiago Motta comandou o primeiro treino no Genoa hoje (23) na Itália - Divulgação/Genoa CFC
Thiago Motta comandou o primeiro treino no Genoa hoje (23) na Itália Imagem: Divulgação/Genoa CFC

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

23/10/2019 16h41

Resumo da notícia

  • Thiago Motta é o único técnico brasileiro nas principais ligas da Europa
  • O ex-volante foi contratado pelo Genoa ontem e estreia no sábado
  • Seu esquema tático favorito é o 2-7-2, que conta até com o goleiro
  • O técnico lê a formação a partir do lateral-esquerdo e do ponta esquerda
  • O goleiro é considerado um meio-campista e atua bastante adiantado
  • Motta preza por um time compacto e que se movimente o tempo todo

Ontem (22), o Brasil passou a ter um representante entre os técnicos das principais ligas do futebol europeu. Thiago Motta foi contratado para tentar salvar o Genoa no Campeonato Italiano, no primeiro trabalho como treinador profissional de sua carreira, e chama a atenção por apostar em um esquema tático totalmente fora dos padrões: o 2-7-2.

A formação é cheia de peculiaridades. Primeiro por, diferentemente de outros esquemas, incluir o goleiro na contagem. Em modelos clássicos, como o 4-4-2, ou mais modernos, como o 4-1-4-1, apenas os dez jogadores de linha são enumerados. Motta crê que os goleiros precisam fazer parte de toda a engrenagem, pois são os primeiros armadores de uma equipe.

Além disso, o ex-jogador de Barcelona, Internazionale e Paris Saint-Germain lê esses números na "horizontal". Em um 4-4-2 tradicional, a leitura da formação começa pelo lateral-direito, passa pelos zagueiros e termina no lateral-esquerdo para depois seguir ao meio e ao ataque. No 2-7-2, Motta escala de um lado a outro do campo.

O "2" é formado pelo lateral-esquerdo e pelo ponta esquerda. Depois, o "7" se refere à faixa central do campo, começando pelo goleiro, passando pelos dois zagueiros e pelos três meio-campistas e chegando ao centroavante. Por fim, o outro "2" lista o lateral-direito e o ponta direita.

O inusitado 2-7-2 que Thiago Motta tenta implantar como técnico - Reprodução/Lineup Builder
O inusitado 2-7-2 que Thiago Motta tenta implantar como técnico
Imagem: Reprodução/Lineup Builder

Essa leitura é algo particular do técnico Thiago Motta e ele pede que as pessoas não se apeguem a isso: "Não devemos dar importância a esses números". Essa fala reflete o discurso de muitos técnicos sobre dar um peso maior à função de cada jogador do que à posição em si.

E o trabalho prometido por Motta no Genoa passa exatamente por isso. Os laterais e os pontas serão importantes para desafogar o time de uma pressão na saída de bola ou para abrir a defesa adversária no ataque. Já a presença de sete jogadores mais ao centro, incluindo o goleiro, visa a permitir um avanço em bloco da equipe, sempre com superioridade para triangular e realizar uma transição mais rápida.

Para mim, o centroavante é o primeiro defensor e o goleiro é o primeiro atacante
Thiago Motta

Para marcar, a ideia é que esse bloco continue formado, com o atacante empurrado pelo resto do time para pressionar a saída adversária. Motta prega por movimentação intensa para evitar uma posse lenta e sem objetividade. Ou seja, principalmente os três meio-campistas podem rodar à vontade em busca de espaço e tabelas.

O 2-7-2 já vinha sendo trabalhado por Motta há um ano, no período em que foi técnico das categorias de base do Paris Saint-Germain, clube onde se aposentou. Hoje, o agora técnico comandou seu primeiro treino no Genoa e terá mais duas atividades para tentar dar um pouco de seu estilo ao time antes da estreia como treinador profissional.

A primeira provação para Motta e seu esquema peculiar será no sábado, ás 15h30 (de Brasília), contra o Brescia. A RedeTV! transmite a partida ao vivo.