Topo

Caetano repete palavras de Coudet e mantém incerteza sobre técnico do Inter

Técnico do Racing, Eduardo Coudet, é alvo do Internacional em difícil negociação - Divulgação/Racing
Técnico do Racing, Eduardo Coudet, é alvo do Internacional em difícil negociação Imagem: Divulgação/Racing

Do UOL, em Porto Alegre

17/10/2019 22h03

O diretor executivo de futebol Rodrigo Caetano não foi definitivo sobre o novo técnico do Inter. Após a vitória sobre o Avaí por 2 a 0, o dirigente repetiu as palavras de Eduardo Coudet sobre a proposta apresentada e disse que o futuro será tratado internamente.

"Estivemos em Buenos Aires juntamente com nosso vice de futebol, Roberto (Melo). E pelo perfil que imaginávamos, conversamos com Coudet e seu agente. O que ele disse hoje na Argentina é o que vale para nós. Neste momento ele não pode vir, tem um contrato, gostou do projeto que apresentamos, queríamos que ele viesse agora e ele não abriu essa possibilidade pelo compromisso e o respeito que tem com Racing. Não só um contrato comercial, mas um contrato moral. É o atual campeão argentino. Este assunto se encerra aqui. O que vier depois é futurologia. E não gostaria de tratar deste assunto", disse Caetano.

O diretor executivo de futebol disse que Ricardo Colbachini segue interinamente na próxima partida, contra o Vasco. E que o argentino não virá imediatamente. Ainda, ressaltou que não tem garantia sobre a vinda no início do ano que vem. Dependerá de um novo contato.

"Ele (Coudet) foi muito taxativo. Apesar de ter gostado do projeto, ele não poderia estar aqui porque tem um compromisso muito claro lá. E não vamos retomar este assunto no momento. Se algo acontecer em 2020, bom, daí estamos fazendo um exercício de futurologia. Nós temos os nossos problemas aqui, a vaga na próxima Libertadores. Por mais que saibamos da expectativa, o que existe é isso. O técnico que tínhamos como alvo neste momento não pode estar conosco. Se virá a acontecer no futuro, não podemos gerar esta expectativa porque não temos o controle dessa negociação neste momento", afirmou.

O discurso segue o tom do informado pelo UOL Esporte. Coudet rejeitou se transferir imediatamente e um novo contato será feito para que a investida para o ano que vem se consolide.

"Ele (Coudet) tem contrato até o meio do ano que vem. Se neste período ele entender que deva sair do Racing, não será por causa do Inter. Temos que dar segmento à nossa vida. Se algo mudar e nós não tivermos técnico para 2020, bom, daí vamos avaliar ele novamente como o perfil desejado. Mas isso não podemos gerar expectativa, que gera frustração. Nossa realidade é o Brasileiro, temos que buscar nossa vaga para Libertadores. O 2020, por mais que se planeje, trabalhe, vamos fazer isso de forma silenciosa, internamente e com toda cautela necessária", explicou. "Não temos nada garantido agora", completou.

O Internacional, agora, irá recuar na busca por um novo treinador. A expectativa por ter Coudet em 2020 dependerá dos próximos jogos, a sequência com Ricardo Colbachini e a possibilidade de classificação para a próxima Libertadores.

Internacional