Topo

Futebol


São Paulo bate Fortaleza de Ceni, vence 1ª com Diniz e se aproxima do G4

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

05/10/2019 18h59

Como deveria ser, a idolatria por Rogério Ceni ficou de lado a partir do momento em que a bola passou a rolar no Pacaembu. Hoje (05), no Pacaembu, o São Paulo derrotou o Fortaleza, treinado pelo ex-goleiro, por 2 a 1. Os gols foram marcados por Pablo e Igor Gomes, pelo Tricolor paulista, enquanto Wellington Paulista descontou para os visitantes.

Com o resultado, o São Paulo passou a somar 39 pontos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e entra provisoriamente no G6 do principal torneio nacional. Já o Fortaleza permanece com 25 e vê a zona de rebaixamento cada vez mais próxima.

Agora, as duas equipes focam suas atenções para a próxima rodada do Campeonato Brasileiro. Enquanto o São Paulo encara o Bahia, fora de casa, para se manter entre os primeiros colocados do principal torneio nacional, o Fortaleza receberá a Chapecoense para somar pontos e se afastar cada vez mais da zona de rebaixamento.

CLIMA QUENTE ANTES DO JOGO

Muito antes de a bola rolar, o clima esquentou. Torcedores protestaram contra a atual gestão na porta da casa do presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Eles gritaram e exibiram uma faixa pedindo a saída do mandatário. O grupo deixou o local após a polícia chegar na região.

NOSTALGIA

Dois dos maiores ídolos da história do Tricolor paulista se encontraram no Pacaembu. O diretor executivo de futebol do clube do Morumbi, Raí, foi até o vestiário da equipe adversária para cumprimentar o técnico do Fortaleza, Rogério Ceni. Além do campeão mundial de 92, o gerente executivo de futebol, Alexandre Pássaro, e o diretor adjunto, Fernando Chapecó, também deram um abraço no ex-goleiro.

TIME REPETIDO

O técnico Fernando Diniz escalou o São Paulo para a partida contra o Fortaleza, hoje à tarde, no Pacaembu, com os mesmos onze titulares que conseguiram segurar um empate em 0 a 0 contra o Flamengo, no Maracanã, na última rodada do Brasileiro. Dessa forma, mais uma vez o Tricolor paulista teve Daniel Alves e Hernanes no meio campo.

VESPAS INTERROMPEM A PARTIDA

No meio do primeiro tempo, a partida precisou ser interrompida por uma situação um tanto quanto diferente. Isso porque aos 25 minutos, um enxame de vespa "tomou conta" de uma das bandeiras de escanteio, impedindo que os jogadores conseguissem chegar perto do local.

A situação só foi resolvida quando o zagueiro Jackson do Fortaleza, que já teve passagem pelo Palmeiras, colocou parte da camisa sobre a cabeça para evitar o contato com as abelhas e conseguir retirar a bandeirinha.

QUEM FOI BEM: PABLO

Pablo buscou a bola, correu bastante, marcou o adversário e era um dos mais dedicados dentro de campo pelo lado do tricolor paulista. Para completar, foi premiado com o gol.

QUEM FOI MAL: REINALDO

Nervoso, Reinaldo parecia querer receber o cartão amarelo. O lateral esquerdo discutiu muito com os adversários, e chegou até a não prestar atenção para uma jogada para trocar farpas com o rival. De quebra, ainda cometeu o pênalti convertido por Wellington Paulista no fim da primeira etapa.

ATUAÇÃO DO SÃO PAULO

O Tricolor paulista começou o jogo com o estilo de Fernando Diniz. Sem deixar o adversário respirar, partiu para o ataque e dominou as ações. Parecia que o time iria golear. Porém, após abrir o placar, o rendimento caiu e o Fortaleza empatou. Na sequência, o time ainda pecou nas finalizações.

ATUAÇÃO DO FORTALEZA

A equipe de Rogério Ceni não passava do meio de campo nos primeiros instantes. Aos poucos, a equipe conseguiu equilibrar o jogo e levar perigo nos contragolpes. Se Osvaldo caprichasse mais no contra-ataque, os visitantes teriam dado ainda mais trabalho.

HISTÓRIA DO JOGO

Jogando em casa, o São Paulo impôs o ritmo desde os minutos iniciais, oferecendo pouco espaço para o Fortaleza partir em contra-ataque. A alta intensidade colocada pela equipe do técnico Diniz rendeu frutos e, logo aos 13 minutos, abriu o placar com o atacante Pablo, aproveitando belo cruzamento vindo da direita.

A proposta defensiva dos visitantes não deu certo no início, já que o São Paulo tomou conta do jogo nos primeiros 20 minutos. No entanto, a equipe cearense não mudou a estratégia e conseguiu chegar ao empate após cobrança de pênalti precisa de Wellington Paulista.

Na segunda etapa, o time comandado por Fernando Diniz perdeu intensidade e viu o Fortaleza começar a ter mais segurança para ficar com a posse de bola, algo que não aconteceu na primeira etapa. Os visitantes ganharam confiança e quase viraram o placar após belo chute no meio campo, que foi salvo pelo goleiro Tiago Volpi.

Porém, o tricolor paulista conseguiu chegar ao gol da vitória na reta final, mesmo jogando abaixo do esperado. Após cruzamento de Antony, Igor Gomes apareceu na frente da zaga para estufar as redes do goleiro do Fortaleza e garantir os três pontos do clube paulista.

TORCIDA DO SÃO PAULO REVERENCIA ROGÉRIO CENI

Como já havia prometido durante a semana, a torcida do São Paulo fez a sua parte e recebeu com bastante carinho Rogério Ceni, no Pacaembu. O público exibiu bandeirões com a imagem do ex-goleiro e gritou o nome dele. Emocionado, o treinador acenou para as arquibancadas do estádio.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 1 FORTALEZA

Campeonato Brasileiro - 23° rodada
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Árbitro: Diego Pombo Lopez (BA)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)
VAR: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)
Cartões Amarelos: Pablo, Arboleda e Daniel Alves (São Paulo); Gabriel Dias e Wellington Paulista (Fortaleza)
Público e renda: 31.964 pagantes; 34.962 público total e R$ 650.396,00
Gols: Pablo, aos 13 minutos do primeiro tempo; Wellington Paulista aos 39 minutos do primeiro tempo e Igor Gomes aos 34 minutos do segundo tempo

São Paulo: Tiago Volpi; Juanfran (Igor Gomes), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Luan, Antony, Daniel Alves e Hernanes (Vitor Bueno) e Tchê Tchê; Pablo. Técnico: Fernando Diniz.

Fortaleza: Marcelo Boeck; Gabriel Dias, Quintero, Jackson e Carlinhos; Felipe, Juninho, Edinho (Matheus Alessandro) e Osvaldo (Felipe Pires); André Luís (Mariano Vázquez) e Wellington Paulista. Técnico: Rogério Ceni

Mais Futebol