Topo

Cruzeiro não cumpre acordo e deve mais de R$ 4 milhões a Mano e comissão

Mano Menezes deixou o comando do Cruzeiro após a eliminação para o Internacional - GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Mano Menezes deixou o comando do Cruzeiro após a eliminação para o Internacional Imagem: GUSTAVO RABELO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

05/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Cruzeiro ainda tem dívida de R$ 4,2 milhões com Mano Menezes e sua comissão técnica
  • Clube parcelará o débito em três vezes. Serão três prestações de R$ 1,4 milhão para a comissão do treinador
  • A primeira parcela deveria ser quitada até os primeiros dias de outubro, mas ainda não foram pagas
  • Cruzeiro renegocia a dívida que possui com Mano Menezes. Clube não tem dinheiro em caixa para quitar o valor
  • A diretoria deve também a multa de Rogério Ceni, avaliada em R$ 2 milhões

A diretoria do Cruzeiro ainda tem uma dívida de R$ 4,2 milhões com Mano Menezes e os membros de sua comissão técnica. Ao acertar a quebra do vínculo, o clube se comprometeu a pagar o valor em três parcelas idênticas de R$ 1,4 milhão, sendo a primeira em até dois meses após a rescisão. As partes confirmam a dívida.

Hoje no Palmeiras, o treinador deixou a Toca da Raposa II em 8 de agosto ao lado dos auxiliares Sidnei Lobo e James Freitas, o analista de desempenho Rafael Vieira e o preparador físico Eduardo Silva. O clube deve ao quinteto valores referentes a salários, FGTS e 13º salário proporcional.

A primeira parcela, que deveria ser paga até o início de outubro, ainda não foi quitada. A cúpula cruzeirense confirma o débito e diz que está "renegociando o valor com o seu antigo treinador". Ainda não há previsão para o primeiro pagamento. Hoje, o clube deve pelo menos dois meses de salários ao plantel comandado por Abel Braga.

Procurada, a assessoria de Mano Menezes também confirma que há o débito. Entretanto, evita dar mais detalhes sobre o assunto.

Mano não é o único treinador que tem valores a receber do Cruzeiro. Rogério Ceni, seu substituto no cargo, tem R$ 2 milhões a receber pela saída do cargo. Os mineiros solicitaram o parcelamento em 12 vezes, o que foi aceito pelo técnico. Os moldes do pagamento, contudo, ainda estão em discussão.

O técnico foi demitido por conta da série de resultados negativos após 46 dias no cargo. Ele está à frente do Fortaleza novamente.

Cruzeiro