Topo

Atlético-MG tenta reatar com a torcida após protestos por pior crise do ano

Rodrigo Santana, técnico do Atlético-MG, foi bastante contestado pela torcida contra o Ceará - Bruno Cantini / Atletico
Rodrigo Santana, técnico do Atlético-MG, foi bastante contestado pela torcida contra o Ceará Imagem: Bruno Cantini / Atletico

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

02/10/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Atlético-MG venceu o Ceará, mas escutou vaias e protestos por contra da sequência negativa e da eliminação na Sul-Americana
  • Independência teve o seu segundo pior público do ano em um jogo do Atlético-MG - pouco mais de seis mil pessoas
  • Grupo de torcedores fez críticas a Rodrigo Santana nas proximidades do banco de reservas
  • Organizada foi censurada ao tentar manifestação contra a diretoria do Atlético

Vaias, críticas e o segundo pior público do ano. Foi assim que o Atlético-MG entrou em campo para vencer o Ceará, no último domingo (29), pela 22ª rodada do Brasileirão. Três dias mais tarde, o time volta à Arena Independência para jogar com o Vasco e tentar reatar com a torcida.

As manifestações contrárias ao time e o desânimo do torcedor - apenas 6.131 pessoas foram ao estádio no fim de semana - são reflexo imediato do momenvo vivido pela equipe. O Galo vinha de seis derrotas consecutivas no Brasileirão e de uma eliminação na semifinal da Copa Sul-Americana em casa.

Em campo, o time não rendeu o que se esperava. Mesmo com o triunfo, os mineiros começaram atrás no marcador e só alcançaram a virada aos 35 minutos da etapa final, com um gol de Luan. A atuação fez o time sofrer com vaias da torcida. Não à toa a insatisfação dos atleticanos foi o tema central da entrevista de Rodrigo Santana.

"É sempre muito ruim (ser vaiado). É difícil você ter cabeça para tomar a melhor decisão, para competir com o adversário. Não é fácil", avaliou o treinador. "Eles (jogadores) estão de parabéns por estarem passando por cima de tudo. A grande maioria (da torcida) apoiou. A gente sabe que há quem venha aqui de cabeça quente e acha que essa cobrança vai nos ajudar. Atrapalha um pouquinho. Todo mundo quer ir bem, quer ser elogiado. Esquecem que do outro lado tem um adversário que vem preparado para nos vencer", acrescentou.

Treinador e diretoria são alvos

Com a proximidade entre o banco de reservas e a arquibancada, o treinador foi o mais criticado pela torcida às margens do gramado no Independência. .

"Havia uns cinco torcedores que não vieram para assistir ao jogo, mas para me xingar. Foi o jogo inteiro. Terminou o jogo, fui dar água para eles, pensei: 'Pô, devem estar com sede, pelo tanto que me xingaram'. Mas, faz parte, isso é o folclore do futebol. A gente perde, a gente erra, o treinador sempre é o culpado", disse.

"Não levo isso para o coração não, levo numa boa. Às vezes, a gente e tem que estar muito concentrado, para eles não tirarem a nossa concentração, porque é chato. Alguns xingam, pode xingar, mas, ofender, é muito ruim. Nossa família está em casa, esperando a gente, e quando começa a xingar a família, isso é muito desagradável. Mas, faz parte. Terminou o jogo, a grande maioria estava nos prestigiando", acrescentou.

Em outro ponto da arquibancada, uma organizada colocou uma faixa virada como forma de protesto contra a gestão do presidente Sérgio Sette Câmara. Porém, ao serem detectados por seguranças do clube, foram obrigados a mudar a posição. O fato foi registrado e publicado nas redes sociais da própria organizada. A diretoria atleticana não se manifesta sobre o assunto.

Hoje, às 19h15 (de Brasília), o Atlético tenta uma vitória sobre o Vasco, em jogo adiado da 21ª rodada, para reatar o bom relacionamento com a torcida.

Ficha técnica
Atlético-MG x Vasco

Motivo: 21ª rodada do Brasileiro
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 2 de outubro de 2019 (quarta-feira)
Horário: às 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)
Assistentes: Éder Alexandre (SC) e Johnny Barros de Oliveira (SC)
VAR: Rodrgio D'alonso Ferreira (SC)

Atlético-MG
Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Nathan, Elias, Luan, Juan Cazares e Rómulo Otero; Franco Di Santo.
Técnico: Rodrigo Santana.

Vasco
Fernando Miguel, Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Henrique; Richard, Raul e Marcos Júnior (Bruno Gomes); Rossi (Marrony), Ribamar e Talles Magno.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Atlético-MG