Topo

Futebol


Atlético-MG vira no segundo tempo, bate o Ceará e reencontra vitória

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

29/09/2019 20h53

Na base da vontade, o Atlético-MG venceu o Ceará de virada por 2 a 1 e se reencontrou com a vitória após seis derrotas seguidas no Brasileirão. O Vovô abriu o placar com Galhardo, de pênalti, mas o Galo virou no segundo tempo com Otero e Luan.

Com o resultado, o Atlético permanece em décimo lugar, mas vai aos 30 pontos e volta a triunfar no campeonato. O Ceará fica com 23 pontos, chega ao oitavo jogo sem vencer e segue acompanhado de perto pelos últimos colocados.

Quem foi bem: Otero entra e muda astral do Atlético

Otero entrou ainda no primeiro tempo depois que Chará se queixou de dores musculares. Na etapa final, o venezuelano deu o gás que o time mineiro precisava. Na raça e na técnica, puxou o resto dos companheiros para a virada.

Atlético faz primeiro tempo com repertório muito pobre

Esperava-se que o Atlético apresentasse pelo menos o mesmo rendimento do primeiro tempo contra o Colón, no meio de semana. Mas a equipe teve uma atuação bem abaixo da esperada, sem organização alguma. Defensivamente, bateu cabeça, deixou espaços e até passou sufoco em alguns lances. No meio, Nathan foi improvisado como volante, mas deixou o setor sem combate ao lado de Elias. No ataque, o repertório foi pequeno, e nem mesmo as curtas tabelas funcionaram.

Ceará peca nas conclusões, mas marca em pênalti polêmico

Aproveitando-se da desorganização do Galo, o Ceará ficou mais à vontade em campo. Trocando melhor as passes que o time anfitrião, o Vovô apertou o Atlético em alguns momentos e só não levou mais perigo por causa da baixa competência técnica. Já no final do primeiro tempo, Felippe Cardoso furou ao tentar finalizar para o gol, mas a arbitragem marcou pênalti no carrinho de Igor Rabello. Thiago Galhardo foi para a batida e abriu o marcador.

Otero conduz Atlético com postura mais agressiva

Individualmente, quase nenhum jogador se destacou no Atlético. No segundo tempo, Otero foi quem mais se sobressaiu, buscando algo novo, seja nas finalizações, dribles ou se apresentando mais para o jogo, algo que estava faltando em seus colegas. A postura puxou o time, que se animou mais em campo. No início da etapa final, o venezuelano acabou premiado após o chute de Réver, que carimbou a trave. Na sobra, Otero deixou tudo igual.

Galo abre mão dos volantes e vira jogo na raça

Muito na base da vontade, mas evoluindo também na parte técnica, o Atlético passou a pressionar pela virada. Rodrigo Santana sacou Elias e deixou o time ainda mais ofensivo. Apesar de sofrer com alguns contra-ataques, o Galo ficou cada vez mais perto da virada. Faltando dez minutos para o apito final, a blitz atleticana surtiu efeito. Após boa defesa de Diogo Silva na cabeçada de Réver, mas Luan pegou a sobra e fez o gol do alívio. 2 a 1 placar final.

'Público Zero' deixa Horto 'sem alma'

Enrico Bruno/UOL
Imagem: Enrico Bruno/UOL

Após a eliminação na Sul-Americana, a principal organizada do Atlético lançou a campanha 'Público Zero', colocada em prática no Independência. Além da Galoucura, outras torcidas não estiveram presentes no estádio, deixando o Horto bastante vazio. Quem foi, apoiou em alguns momentos, mas nao deixou de vaiar jogadores como Cazares, Elias e Fábio Santos, além do técnico Rodrigo Santana e o presidente Sérgio Sette Câmara.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 2x1 CEARÁ

Motivo: 22ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 29/09/2019, às 19h (de Brasília)
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia e Roberto Trombeta (PR)
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)

GOLS: Thiago Galhardo, 42'1ºT (0-1); Otero, 8'2ºT (1-1); Luan, 35'2ºT (2-1)
Cartões amarelos: Samuel Xavier, Felippe Cardoso (CEA)
Cartão vermelho: Não teve.
Público/Renda: 6.131 pagantes/R$ 47.121,00.

Atlético-MG: Cleiton; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Nathan, Elias (Bruninho); Cazares (Vinicius), Luan e Chará (Otero); Franco di Santo. Técnico: Rodrigo Santana.

Ceará: Diogo Silva; Samuel Xavier (Wescley), Valdo, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho, Ricardinho e Thiago Galhardo; Lima (Cristovam), Mateus Gonçalves (Felipe Baxola), e Felippe Cardoso. Técnico: Enderson Moreira.

Mais Futebol