Topo

STJD concorda com Palmeiras e obriga Fortaleza a reduzir valor de ingresso

Ingresso para a torcida do Palmeiras terá valor reduzido para jogo contra Fortaleza - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Ingresso para a torcida do Palmeiras terá valor reduzido para jogo contra Fortaleza Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

19/09/2019 16h58

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) concordou com o pedido do Palmeiras. A entidade oficializou hoje (19) que corrobora com a reclamação do Alviverde em relação ao preço cobrado pelo Fortaleza para o jogo da próxima rodada do Brasileirão, marcado para 16h deste domingo. Com isso, a equipe do Ceará será obrigada a diminuir o preço cobrado para o setor de visitante.

Inicialmente, o preço fixado era de R$ 110 (R$ 55 a meia-entrada), o mesmo valor que o alviverde havia colocado para a torcida visitante na partida do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, no Allianz Parque. Com a nova decisão, os preços passam a ser de R$ 50 para a inteira e R$ 25 para a meia-entrada.

O Palmeiras conseguiu a vitória no STJD usando o artigo 85 do Regulamento Geral de Competições da CBF e no artigo 24 do Estatuto do Torcedor, que proíbem que a equipe mandante cobre do visitante um ingresso mais caro do que o cobrado da torcida da casa em setor equivalente do estádio.

Isso significa que o Tribunal indica que os palmeirenses precisam ser cobrados pelo mesmo valor que os torcedores do Fortaleza que ficarão em setores semelhantes e não pelo montante cobrado pelo Alviverde para os visitantes no jogo de ida.

"O risco de dano é evidente, quando se considera que a partida está aprazada para ocorrer no dia 22/09, já estando os ingressos à venda, de forma que o prejuízo que se quer evitar se ultimaria antes mesmo do desfecho desta demanda, que quedaria sem qualquer razão de existir. Neste cenário, para preservar o direito vindicado pelo Clube Requerente, bem como o resultado útil deste processo, é impositiva a concessão da tutela provisória requerida", afirmou o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, no documento enviado aos clubes.