Topo

D'Alessandro revê cenário de briga com nova postura em final após 10 anos

D"Alessandro discutiu com William, do Corinthians, na final da Copa do Brasil de 2009 - Ayrton Vignola/Folhapress
D'Alessandro discutiu com William, do Corinthians, na final da Copa do Brasil de 2009 Imagem: Ayrton Vignola/Folhapress

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

17/09/2019 04h00

Uma final que marcou a trajetória de D'Alessandro no Inter. E não foi com título. A decisão da Copa do Brasil de 2009 ficou na memória pela briga que o argentino teve com o zagueiro William, do Corinthians. Dez anos depois, ele revive uma finalíssima em Porto Alegre, novamente começa em desvantagem, mas mostra uma nova postura com a experiência ganha ao longo do tempo para o jogo de amanhã contra o Athletico.

Era 1º de julho de 2009, o Colorado entrava em campo para enfrentar o Corinthians no duelo de volta da final da Copa do Brasil. O momento do clube era outro, com o título da Sul-Americana no ano anterior, a Libertadores e o Mundial em 2006, Recopa e os estaduais em sequência. E a expectativa era reverter a vitória corintiana por 2 a 0 no jogo de ida.

O jogo era naturalmente tenso no Beira-Rio. E logo no início, o Corinthians tratou de mostrar que realmente levaria a melhor. Jorge Henrique marcou o primeiro aos 19 minutos, André Santos fez aos 28. O Inter só foi "acordar" no segundo tempo, com os gols de Alecsandro aos 25 e 29 da etapa final.

Após o segundo gol do time gaúcho, teve início a confusão. Os jogadores do Inter queriam a saída de jogo rapidamente, buscaram a bola e colocaram no meio. Já os corintianos trataram de ganhar tempo. O volante Cristian caiu no gramado após conversar com o meia Douglas e a partida ficou parada por aproximadamente cinco minutos.

Enquanto, no centro do campo, um debate começava a ficar mais tenso, D'Alessandro ouviu algo supostamente dito por William e disparou contra o zagueiro. De punhos cerrados, correu até o corintiano, que tratou de evitar a briga. O defensor se esquivou, correu para trás e não partiu para cima. D'Ale foi contido por Guiñazu que, com muita dificuldade, evitou o pior. Expulso, e ao deixar o campo ele ainda fez sinais para o adversário ficar calado.

Uma década se passou e o argentino não é mais presente em confusões. D'Ale deixa claro que a briga com William é um dos fatos que ele não gosta de relembrar, uma marca negativa na carreira. E hoje o ambiente é outro.

Mais experiente, com 38 anos, o argentino é o pilar do controle do Inter. Costuma evitar discussões com adversários e até mesmo árbitros. Ainda que não consiga fazer isso 100% do tempo (foi expulso na Copa do Brasil contra o Palmeiras por discutir com o árbitro), ele garante que aprendeu com o tempo como deveria se comportar.

O título nacional é algo que pesa para D'Ale. Ainda que tenha conquistado estadual, Sul-Americana, Libertadores e Recopa pelo Inter, a busca pela quebra do jejum de 27 anos sem um título nacional motiva o gringo, que reconhece que está perto do fim da carreira.

Um susto no treinamento de domingo ameaça a presença dele em campo. Uma fisgada na coxa direita o fará ser avaliado diariamente até amanhã. O jogo está marcado para as 21h30 (de Brasília), em Porto Alegre. O Athletico venceu o duelo de ida por 1 a 0, e o placar que já começa adverso testará o novo momento de D'Ale, e o controle que faltou há 10 anos.

Mais Internacional