Topo

Como vitória sobre o Atlético-MG pode influenciar o Inter na final

Do UOL, em Porto Alegre

16/09/2019 04h00

"Vamos corrigir ganhando" é o lema de Odair Hellmann. O treinador repetiu a frase após a convincente vitória por 3 a 1 do time reserva do Internacional sobre o Atlético-MG, ontem (15), pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, ao explicar como o triunfo pode influenciar o grupo para a final da Copa do Brasil, marcada para quarta-feira.

Nenhum jogador que começará a partida decisiva contra o Athletico Paranaense pisou no gramado do Independência. Os titulares ficaram treinando em Porto Alegre, e os reservas representaram bem as cores do Colorado.

Com atuação firme, o time superou o rival e fechou o primeiro turno do Brasileirão com 33 pontos conquistados. O bom rendimento, ainda que com outros jogadores, serviu de motivação.

"A vitória sempre ajuda. É muito importante para corrigir o que precisa para o próximo jogo. Fazer uma boa pontuação gera confiança. O companheiro vai chegar em Porto Alegre com alegria, trazendo esta felicidade, transmite isso para o colega, contagia o ambiente. A vitória é sempre importante. Mas, cabe a mim como treinador, independente disso, não me empolgar quando ganhamos nem entrar em depressão quando perdemos", disse Odair.

"Tenho que fazer uma avaliação sobre desempenho, o que funcionou, o que não funcionou. Não somos perfeitos, longe disso, mas uma equipe muito boa, que consegue bom desempenho e resultados. Temos dificuldades, mas tentamos superar e potencializar nossas qualidades", completou.

O bom ambiente que retornará de Belo Horizonte também servirá para controlar a ansiedade. Sem conquistar um título nacional há 27 anos, o Colorado aposta tudo na força que tem no Beira-Rio para reverter a derrota por 1 a 0 que sofreu para o Athletico no jogo de ida da final.

"A ansiedade pode atrapalhar, mas também pode atrapalhar o time deles. Somos fortes no Beira-Rio e vamos tentar fazer valer essa força. Será um jogo difícil, o Athletico não caiu de paraquedas na final. Mas vamos fazer um grande jogo, procurar a vitória até o último segundo, até a última gota de suor", afirmou o vice de futebol Roberto Melo.

A estratégia de imposição não pode se confundir com pressa. Da mesma forma, a paciência não pode gerar acomodação. É neste equilíbrio que o técnico Odair Hellmann confia para a conquista de sua primeira taça como treinador principal - ele era auxiliar no ouro olímpico com a seleção brasileira em 2016.

"Temos que ser organizados, consistentes, buscando o gol desde o primeiro minuto. O que sempre fizemos. Vamos tentar ter a bola para ter o controle das situações de jogo e desequilibrar o adversário. Mas cuidando com o contra-ataque, porque o time do Athletico é muito rápido. É um jogo em que não pode ter lentidão. É um jogo de paciência, mas de imposição. Não vamos ganhar de qualquer jeito, não fizemos isso até aqui. Ganhamos porque tivemos ideia, conceito, e é assim que vamos treinar até quarta-feira e fazer em campo", afirmou Odair.

Derrotado pelo placar mínimo no jogo de ida, o Inter precisa vencer por dois ou mais para ser campeão sem a necessidade dos pênaltis. Se devolver o triunfo por um gol, leva a definição do título para as cobranças. Qualquer outro resultado dá o título ao Athletico Paranaense.