Topo

"Cazares chegou e nos jogou no chão", dizem mulheres supostamente agredidas

Juan Cazares, meia-atacante do Atlético-MG - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Juan Cazares, meia-atacante do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Do UOL, em São Paulo

12/09/2019 09h49

As duas mulheres que acionaram a Polícia Militar de Minas Gerais para fazer uma denúncia contra Juan Cazares, jogador do Atlético-MG, confirmaram que foram agredidas durante uma festa na casa dele na última segunda-feira.

Em entrevista à Rádio Itatiaia, as duas mulheres, que não tiveram os nomes revelados, negaram que sejam garotas de programa e que a confusão tenha começado por causa do uso de drogas. Uma das jovens, de 20 anos, disse que começou a conversar com o jogador pelo Instagram há duas semanas. Ele, então, a convidou para ir na casa dele.

"Ele me convidou, inclusive todas as conversas que a gente teve foi me chamando. Ele não mencionou (que seria um festa). Falou apenas que era uma 'resenha' e que, se eu quisesse, poderia chamar uma amiga, que era tranquilo", disse ela na entrevista.

Segundo a mulher, a confusão teria começado quando ela notou que alguns pertences pessoas haviam sumido, inclusive a carteira. "A partir desse momento, falei com ele 'olha, sumiu algumas coisas da minha bolsa. Com isso, ele ficou um pouco exaltado e falou que ninguém lá queria me roubar, que a minha carteira estava com ele. Ele pegou a minha carteira sem o meu consentimento", diz ela.

Foi a partir daí, então, que as agressões teriam começado. "Parece que a amiga dele que estava lá na casa, uma menina, escutou, viu que a gente tava meio tenso um com o outro e aí ela já veio me agredindo. Já veio todo mundo para cima de mim (com) soco, chute, tapa", relata.

Segundo ela, o jogador jogou ela e a amiga, que entrou na briga para defendê-la, no chão. "Na hora que o Cazares viu que tava muito tensa a situação, ele chegou e jogou nós duas no chão. Após isso, ele machucou, nossa cabeça machucou".

Ela diz que amigos do jogador teriam tentado forçar que elas entrassem num táxi, mas elas já haviam acionado a polícia. Sobre o uso de drogas, versão apresentada pelo jogador, ela disse que não queria se pronunciar.

De acordo com o relato, Cazares também teria puxado a jovem para um quarto e trancado a porta. "Nisso ele começou a apertar meu seio, a passar a mão na minha parte íntima. Tentou fazer isso até o tempo de eu conseguir destrancar a porta e conseguir sair do quartinho. Aí, uns cinco minutos depois a polícia já tinha chegado".

A amiga da jovem, de 24 anos, confirma a agressão. "Quando a gente chegou perto dele para tentar pedir algum tipo de ajuda, perguntar por que desse motivo, ele teve estopim, estourou e ficou mais agressivo ainda. Foi quando ele atirou nos duas ao chão e nos agrediu", relatou.

Outro lado

A defesa do jogador não se pronunciou sobre as declarações das jovens à Itatiaia. À polícia, Cazares negou as agressões e disse que as mulheres estariam fazendo o uso de drogas ilícitas. Ele, então, pediu que as duas se retirassem de sua casa. O jogador também acusou a dupla de extorsão.