Topo

O que mudou no "motorzinho" do Santos entre sequências positiva e negativa

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

10/09/2019 04h00

O volante Diego Pituca é peça central no esquema do técnico Jorge Sampaoli no Santos. Desde que o argentino assumiu o cargo no início do ano, Pituca foi titular em 40 jogos. Ficou fora de apenas quatro. O jogador comanda o meio-campo santista e a perda de rendimento do time após as sete vitórias consecutivas coincide com a queda do número de vezes que ele foi acionado em campo. A bola nunca passou tão pouco pelos pés do camisa 21.

É possível dizer, também, que o próprio Pituca viu sua produção diminuir nos últimos cinco jogos. Quarto jogador que mais passa a bola no Brasileiro, o volante mais que dobrou a porcentagem de passes errados, se compararmos as últimas cinco partidas e o restante do campeonato: foi de 6,7% para 14%.

A média de Pituca é de 54 passes por jogo, mais do que o dobro do segundo colocado entre meio-campistas e atacantes do Santos: o uruguaio Carlos Sánchez, com 25 por partida.

O problema é que o "motorzinho" do Santos não vem sendo tão acionado quanto nas primeiras 13 rodadas. Em nenhum dos últimos cinco jogos Pituca passou a bola mais do que 45 vezes, recorde negativo que não havia sido registrado nas 13 partidas iniciais.

A média de passes de Pituca levando em consideração somente os últimos cinco jogos é de 29 por jogo, para um total de 148, dos quais 21 foram errados. Antes disso, a média era de 59, com um total de 709, tendo errado 48.

Com o Santos em constante mudança na equipe titular, Pituca já fez todas as funções do meio-campo no Brasileirão. Foi primeiro volante, atuando com dois meias mais soltos; foi segundo volante, atuando com Alison ou Jean Lucas; também jogou mais avançado, quando Alison e Jean Lucas foram titulares.

Para o duelo deste sábado com o Flamengo, às 17h, no Maracanã, valendo o título simbólico do primeiro turno do Brasileirão, o Santos não poderá contar com Diego Pituca. Na única vez no torneio em que não teve o versátil meio-campista à disposição, Sampaoli escalou o time com Jean Lucas, Sánchez e Jean Mota, mas o primeiro não faz mais parte do elenco após ser vendido pelo próprio Flamengo ao Lyon (FRA).

Como o Santos não tem hoje um jogador que desfrute de plena confiança de Sampaoli, nem mesmo um atleta de características semelhantes às de Pituca, Alison é o principal candidato a assumir a vaga. Evandro e Sánchez são os mais cotados para compor o trio de meias ou disputarem apenas uma vaga no time, caso Sampaoli opte por um 3-4-3.