PUBLICIDADE
Topo

Neymar e Barcelona quase se acertaram; agora, vão se enfrentar no tribunal

Neymar, que fez de tudo para voltar ao Barcelona, reencontrará o clube no tribunal - David Ramos/Getty Images
Neymar, que fez de tudo para voltar ao Barcelona, reencontrará o clube no tribunal Imagem: David Ramos/Getty Images

do UOL, em São Paulo

04/09/2019 11h07

Ao menos em relação ao Barcelona, a "novela Neymar" não terminou. Na verdade, foi encerrada "em partes".

Isso porque, apesar de a transferência do brasileiro do PSG ao clube espanhol não ter se concretizado, os caminhos de Neymar e Barcelona vão se cruzar novamente, mas, desta vez, de uma maneira bem diferente ao que o atacante se manifestou nos últimos meses: no tribunal.

De acordo com o As, jornal espanhol, as partes vão se enfrentar no dia 27 de setembro em um tribunal na cidade de Barcelona. O caso é referente ao período em que Neymar deixou o clube para acertar com o PSG, e seria "deixado de lado" caso o retorno do brasileiro à Espanha fosse selado.

No processo, o atacante quer 26 milhões de euros (cerca de R$ 118 milhões) dos espanhóis - além de valores adicionais. A equipe catalã também entrou com uma ação contra Neymar, pedindo 75 milhões de euros (cerca de R$ 340 milhões).

A defesa de Neymar alega que, quando renovou o vínculo com o Barça até 2021, teria um bônus a receber de 40 milhões de euros. Segundo o jornal, a primeira parcela (14 milhões de euros) foi paga pelo clube, mas a segunda parte do pagamento ficou pendente. O craque quer o restante do prêmio.

Já o Barcelona alegou quebra de contrato de Neymar e deseja ser reembolsado com a quantia solicitada na Justiça.

O episódio acaba sendo irônico já que, nos últimos dias, Neymar aceitou tirar cerca de R$ 90 milhões do próprio bolso para conseguir se transferir ao Barcelona.

Agora vai?

Segundo o As, este processo já foi adiado por duas vezes.

Marcada para o dia 31 de janeiro deste ano, a audiência foi alterada para 21 de março dias antes de acontecer.

O novo adiamento ocorreu após a defesa de Neymar se recusar a dar o contrato do craque assinado com o PSG. Com isso, ficou para o dia 27 de setembro.

O presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, que fez jogo duro contra a vontade de Neymar, é uma das testemunhas citadas para marcar presença no tribunal. Ele já disse, no entanto, que se recusaria a mostrar provas.

Futebol