Topo

Emily Lima confirma saída em rede social e se despede do Santos

Emily Lima, técnica do Santos - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Emily Lima, técnica do Santos Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

04/09/2019 00h55

Emily Lima não é mais técnica das Sereias da Vila. A treinadora se despediu do clube em postagem nas redes sociais após a eliminação do Campeonato Brasileiro para a Ferroviária nos pênaltis na noite de ontem. O Santos ainda não se posicionou ou oficializou a saída.

Já era confirmado que Emily não seguiria no clube na próxima temporada, mas a treinadora antecipou sua saída. Ela pediu demissão ainda no vestiário após a eliminação.

"Chegou ao fim na noite desta terça-feira a minha passagem pelo Santos. Foram quase dois anos de grande aprendizado profissional e, principalmente, pessoal. Deixo o clube de cabeça erguida, sabendo que fiz tudo o que estava em meu alcance para proporcionar a essas guerreiras a possibilidade de colocar em campo o sonho de serem jogadores no país do futebol", escreveu Emily Lima em sua rede social.

Emily chegou ao Santos em janeiro de 2018, no início da gestão do presidente José Carlos Peres. No comando das Sereias, a técnica foi campeã paulista no ano passado e vice-campeã da Copa Libertadores da América também na última temporada.

Internamente, o Peixe já estava insatisfeito com o trabalho de Emily Lima e sua saída ao final da temporada era certa. A treinadora chegou a dar declarações que deixaria o cargo para não "prejudicar" as jogadoras santistas, alegando que as atletas não eram convocadas para a Seleção Brasileira por conta de uma suposta perseguição contra a treinadora.

A relação entre a diretoria santista e a técnica foi se desgastando ao longo do tempo. O último conflito foi após um vídeo divulgado por Emily criticando a CBF pelo erro de logística que fez com que as Sereias tivessem que dormir na recepção de um hotel em Manaus, antes da partida contra o Iranduba pelo Brasileirão.

A grande repercussão causada pelo vídeo não foi bem vista dentro do clube, pois o Santos já estava em conflito com a CBF após a não liberação de Rodrygo da seleção sub-23. Cartolas santistas avaliaram que a técnica só teria piorado a situação.

Emily Lima foi a primeira mulher a treinar a Seleção Brasileira Feminina ficando apenas nove meses no cargo, entre os anos de 2016 e 2017. Após a demissão, a técnica disparou contra Marco Aurélio Cunha, coordenador da seleção na época, reclamando de falta de respaldo e afirmando que para ele "trabalhar era errado". Cunha não quis comentar o fato e disse que fez "tudo que pôde na gestão".

Santos