PUBLICIDADE
Topo

Flamengo autoriza viagem e encaminha venda de Cuéllar ao Al-Hilal

Cuéllar manifestou desde o início interesse em deixar o Flamengo - Alexandre Vidal / Flamengo
Cuéllar manifestou desde o início interesse em deixar o Flamengo Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/08/2019 14h23

O Flamengo avançou nas negociações com o Al Hilal, da Arábia Saudita, pelo volante Cuéllar. O clube autorizou o jogador a viajar ao país para tratar dos últimos detalhes da negociação.

A janela de transferência no país árabe fecha no sábado (dia 31), o que fez as conversas se acelerarem. Cuéllar pediu para sair desde que a proposta de 8 milhões de euros (R$ 36,8 milhões) chegou ao Fla. Os árabes acenaram com cerca do triplo do salário que ele recebe na Gávea. Os cariocas são donos de 70% dos direitos econômicos, enquanto os Deportivo Cali (COL) tem a outra fatia.

O clube saudita já deu pistas que a contratação foi acertada. Em vídeo publicado na conta oficial do Al Hilal no Twitter, uma bandeira da Colômbia aparece sendo colada em uma parede. As imagens começam anunciando "nuevo fichaje", ou "nova contratação", em tradução do espanhol (língua falada no país de Cuéllar) para o português, mas ainda não citam nominalmente o volante do Flamengo.


O volante alegou problemas particulares para não viajar com o time para o jogo contra o Ceará, que terminou com vitória do Flamengo por 3 a 0 pelo Campeonato Brasileiro, no domingo (25).

Este desconforto, entretanto, foi contornado pelo vice de futebol Marcos Braz, que entrou em cena para garantir sua ida para a partida decisiva contra o Internacional. Nela, o time carioca arrancou o empate e se classificou para as semifinais da Libertadores.

"Ele (Cuéllar) tem contrato, mas já expressou a vontade de sair. Vamos analisar amanhã [ontem] e depois de amanhã. Com calma e tranquilidade, a gente vê o que vai fazer", contemporizou Marcos Braz, vice-presidente de futebol rubro-negro.

Apesar de ter aparado essas arestas momentaneamente, o desgaste entre as partes ficou evidente. Tentado pelos vencimentos oferecidos pelo clube do Arábia Saudita, o colombiano não se sensibilizou nem com o aceno rubro-negro de um reajuste.