PUBLICIDADE
Topo

Evandro vê Sampaoli acima de ex-técnico de Real Madrid e seleção da Espanha

Meia Evandro domina bola durante treino do Santos - Ivan Storti/Santos FC
Meia Evandro domina bola durante treino do Santos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

30/08/2019 04h00

O meia Evandro está encantado com o técnico Jorge Sampaoli no Santos. Após quase dez anos na Europa, passando por quatro clubes e três países diferentes, o jogador trabalhou com técnicos renomados, mas, para ele, nenhum está à frente do argentino que comanda o Peixe hoje.

Revelado pelo Athletico-PR, Evandro rodou pelo Brasil e acertou com o Estrela Vermelha, da Sérvia. Três anos e inúmeros problemas depois, o meia se transferiu para o Estoril Praia, de Portugal, onde trabalhou pela primeira vez com o técnico português Marco Silva, hoje comandante do Everton.

As boas atuações no clube renderam o interesse do Porto, onde foi treinado pelo espanhol Julen Lopetegui, que depois comandaria a seleção da Espanha e o gigante Real Madrid. Ambos os técnicos, na visão de Evandro, estão atrás de Sampaoli.

"Sem dúvida nenhuma o Sampaoli está bem na frente. Marco Silva é excelente. O Lopetegui tem um currículo muito bom, mas a forma como ele jogava não me agradava. Como pessoa não tenho o que falar, mas em termos de tática e treino eu não gostei. Naquela época o Porto gastou muito dinheiro e tinha um timaço, mas não ganhamos nada. Esse tempo com Sampaoli tenho aprendido demais, está sendo muito prazeroso", disse Evandro em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Seria o próprio Marco Silva quem levaria o meia para Hull City, da Inglaterra, seu último clube no continente europeu. Antes disso, o português já havia tentado levar Evandro para os dois outros clubes em que trabalhou depois do Estoril Praia, o Sporting, de Portugal, e o Olympiacos, da Grécia.

"Ele me ligou muitas vezes para ir para o Sporting, mas as condições do Porto eram melhores e eu tinha vontade de jogar lá. No Olympiacos também. Trabalhar com ele foi fantástico, tenho contato com ele até hoje. Acho que ele vai mais longe ainda", afirmou.

Apesar do rebaixamento com o Hull City na temporada em que atuou na primeira divisão da Inglaterra, Evandro jogou ao lado de dois atletas que hoje são destaques de gigantes do país: o lateral esquerdo Robertson, do Liverpool, e o zagueiro Harry Maguire, que se tornou o jogador mais caro do mundo na posição quando foi contratado nesta temporada pelo Manchester United.

"O Maguire já era nítido. Extremamente forte, muito rápido e com uma qualidade técnica muito grande. Jogar a Premier League... Olha, foi espetacular. Foi por pouco (o rebaixamento). O trabalho do Marco Silva lá foi tão bom que ele está onde está", opinou.

Apesar do pouco tempo na Premier League, por conta de lesões e falta de ritmo de jogo, Evandro teve a oportunidade de enfrentar os cinco grandes do país: Chelsea, Arsenal, Liverpool, Manchester United e Manchester City. O santista guarda com carinho as lembranças e responde sem titubear o jogo mais difícil, contra o Chelsea, e o estádio mais bonito dentre os cinco, o Old Trafford, casa do United.

"Lembro que contra o Chelsea o coração estava na boca. Principalmente porque eu estava no time B do Porto e sem ritmo de jogo. Intensidade era muito alta e tinha que pensar muito rápido para jogar. O campeonato é um show, estádio sempre lotado. Contra o Manchester United foi show demais. Na chegada já vendo aqueles cachecóis do Beckham, do Alex Fergunson. Foi muito legal", lembrou.

Recentemente, Evandro cravou que o sistema de Sampaoli é o mais fácil para jogar dentre todos os que já atuou. O rápido entendimento do meia aliado ao bom desempenho nos treinos fez com que ele ganhasse terreno na briga por uma vaga no time titular, iniciando os dois últimos jogos do Peixe.

Santos