Topo

"Pé quente" e caos tático: Dani Alves sai feliz de estreia pelo São Paulo

Além do gol da vitória, reforço teve parte em quase todos os ataques do São Paulo - Daniel Vorley/AGIF
Além do gol da vitória, reforço teve parte em quase todos os ataques do São Paulo Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

18/08/2019 20h40

A primeira impressão deixada por Daniel Alves no torcedor do São Paulo é das melhores. O camisa 10 estreou com gol e foi um dos melhores em campo na vitória por 1 a 0 sobre o Ceará, dando o cartão de visitas ideal na chegada ao seu clube do coração. Após o jogo, o reforço se mostrou satisfeito na zona mista, brincou por ser "pé quente" e se surpreendeu com o que chamou de "caos" na partida.

"Foi muito maior do que eu esperava", reconheceu Dani Alves, sobre o debute. "Eu tenho o pé quente, mas não esperava que fosse tão quente como hoje: poder fazer o gol, ajudar a equipe a conseguir a vitória. Só tenho a agradecer esse curto período de tempo com meus companheiros, a recepção deles, porque me sinto como se estivesse há mais tempo", disse ao passar na zona mista, na qual precisou parar duas vezes para dar conta de atender toda a imprensa.

Perguntado sobre as diferenças que notou da estreia para o futebol europeu, Daniel Alves distribuiu sinceridade na análise tática da partida. "Entre aspas a irresponsabilidade dos adversários, que causa um pouco de caos no jogo: às vezes os jogadores estão de um lado, depois em outro... Talvez falte um pouco de posicionamento [no Ceará], mas isso não é problema nosso. Para nós o importante é estar bem em campo para somar vitórias", avaliou.

Daniel Alves foi o principal jogador de linha do São Paulo na tarde de hoje: participou de todas as jogadas relevantes do ataque e combinou bem principalmente com Tchê Tchê e Juanfran, o outro estreante. O camisa 10 fez o gol mostrando oportunismo dentro da área e só não fez mais um porque uma cobrança de falta saiu por centímetros e em outro lance acabou sendo flagrado em impedimento. O posicionamento como meia já era esperado, mas a desenvoltura logo na estreia chamou a atenção.

"São posições que eu domino. Joguei muitos anos da minha vida como meia ou atacante. Construí uma história muito bonita como lateral, mas independentemente da posição eu consigo entender onde eu estou, em qual zona do campo, para dar sempre o melhor e devolver a confiança depositada em mim", explica Dani Alves, que deve seguir fazendo papel de armador no São Paulo.