Topo

Lugano revela detalhes de negociação e papo com Dani: "tem colhão mesmo"

Daniel Alves posa para foto com Raí, Luis Fabiano, Lugano, Kaká e Hernanes - NELSON ALMEIDA / AFP
Daniel Alves posa para foto com Raí, Luis Fabiano, Lugano, Kaká e Hernanes Imagem: NELSON ALMEIDA / AFP

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

16/08/2019 04h00

Durante a apresentação do terceiro uniforme do São Paulo, Diego Lugano contou um pouco mais sobre os bastidores da contratação de Daniel Alves. Superintendente de relações institucionais do Tricolor paulista, o uruguaio esteve em maio, na França, com o capitão da seleção brasileira no Paris Saint-Germain e já abriu as conversas. O dirigente destacou a coragem do brasileiro por aceitar o desafio de mudar de país.

"Começamos a falar realmente dentro do vestiário do Paris Saint-Germain, quando fiz uma viagem em maio. Tenho muitos amigos lá. Desafiei o Dani a encarar esse projeto, que talvez seja o mais difícil de sua carreira, porque ser profeta em sua terra é o mais difícil que existe. Ele é um superstar e gostou dessa ideia. Ele tem uma chama competitiva que não se apaga nunca. Isso o motivou a vir para ao São Paulo, a voltar ao Brasil", disse Lugano.

"É um desafio enorme para ele. Em um momento dificílimo para o time, com todas as dificuldades que têm no futebol brasileiro, que talvez seja o mais complicado do mundo. Por isso, no dia da apresentação dele, eu falei: 'você tem colhão mesmo'. Eu achei que você era medroso, mas tem colhão mesmo. É um cara competitivo, encara os desafios", completou o uruguaio.

Com as chegadas Daniel Alves e Juanfran, o São Paulo muda de patamar na visão da maioria dos torcedores. Por isso, o hoje dirigente uruguaio encara com naturalidade uma maior pressão.

"Tem de ser cobrado, nós necessitamos de cobrança. Mas de cobrança inteligente, não de torcedor no aeroporto e ameaça de morte. Isso é uma estupidez. De cobrança inteligente nós precisamos, porque o time é bom. Na Argentina, já falam para prestar a atenção no São Paulo, porque poderá ser protagonista no continente. Então, já estão vendo assim fora do Brasil. Temos de assimilar essa responsabilidade como positiva, porque você competindo lá em cima, um dia conquista o título", afirmou Lugano.