Topo

São Paulo derruba marcas e Pato ganha pontos por "sangue no olho"

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

11/08/2019 04h00

Alexandre Pato fez sua melhor partida desde que voltou ao São Paulo. Logo em um clássico contra o Santos, líder do Campeonato Brasileiro. Logo apresentando aquilo que o técnico Cuca mais cobrava nas últimas semanas. Pato mostrou o talento que nunca foi alvo de dúvidas na vitória por 3 a 2 sobre o Peixe, mas reinou ontem no Morumbi porque, acima de tudo, teve "sangue nos olhos".

A forma como o astro se entregou no San-São deixou ótimas impressões no clube - torcida, diretoria e, principalmente, comissão técnica. Desde que decidiu tornar o Tricolor um time mais agressivo, que marca pressão, Cuca se preocupava com o rendimento de Pato. O atacante nunca teve esse perfil e, jogando pela ponta, poderia desajustar o avanço da marcação caso não acompanhasse o ritmo dos colegas.

Havia a possibilidade até de Pato ir para o banco no clássico. Sem Antony, porém, o técnico precisava de um jogador de mais recursos técnicos no setor ofensivo para decidir pela individualidade. O voto de confiança foi dado e correspondido. E o segundo gol de Pato sobre o Santos, o terceiro do São Paulo, define bem a resposta dada pelo jogador. Raça e talento para decidir.

Pato foi mais competitivo hoje (ontem). Quando ele sai, é mais opção minha na parte tática. A técnica dele é indiscutível
Cuca, em entrevista coletiva no Morumbi

Triunfo com o Morumbi lotado derruba marcas

Ao vencer o Santos por 3 a 2 na tarde de ontem, o São Paulo derrubou duas marcas importantes: não vencia um clássico há mais de um ano, desde julho do ano passado, e não tinha conseguido nenhuma série de três vitórias nesta temporada. Os triunfos seguidos contra Chapecoense, Fluminense e Santos - o milésimo do clube no Morumbi - também aumentaram a invencibilidade do Tricolor para sete partidas em 2019.

Hernanes ajuda na virada, mas se lesiona de novo

O Profeta perdeu vaga no time titular para Everton, mas não o moral. Entrou no intervalo e participou dos dois gols da virada são-paulina. Bateu uma falta que resultou em escanteio, foi para a área e desviou para Pato empatar. Depois, cobrou escanteio e viu Aguilar cometer pênalti, que foi convertido por Reinaldo. Só que, minutos depois, sentiu lesão no músculo adutor após uma dividida e saiu chorando para dar lugar a Hudson. Exames serão feitos hoje para conhecer a gravidade do problema.

Cuca aposta troca um "10" por dois "8,5"

A saída de Hernanes da equipe titular tem uma explicação. Cuca entendia que seria necessário ter dois jogadores mais agudos e velozes no meio de campo. Com Tchê Tchê pela direita e Everton pela esquerda, o técnico conseguia fazer triângulos pelos lados, com os laterais e os pontas. Além disso, esse vigor da dupla ajudava na marcação adiantada. Segundo Cuca, foi trocar "um 10 por dois 8,5 para espetar mais o Santos".

Sampaoli tirou o sono do técnico são-paulino

Para chegar a essa conclusão sobre que time escalar no clássico, Cuca perdeu o sono. O treinador disse ter acordado de meia em meia hora na noite de sexta para sábado, sempre pensando se o time encaixaria ou não para conter Jorge Sampaoli. A ideia inicial era montar duas linhas de quatro e deixar Pato e Raniel como dupla de ataque, pensando em um Santos com três zagueiros. Depois, com Lucas Veríssimo escalado como lateral no Peixe, a solução foi passar Pato para a ponta e formar uma trinca no meio com Everton, Tchê Tchê e Luan.

É gostoso ter um duelo assim. Você fica pensando em soluções. Acordei de meia em meia hora pensando em como encaixar nos quatro, cinco esquemas que o Sampaoli pode ter
Cuca, em entrevista coletiva

Daniel Alves, Juanfran, Antony... O que vem pela frente?

Cuca cogitou usar Daniel Alves no clássico. Só não o fez porque o lateral-direito não foi regularizado a tempo. Agora a ideia é usar o capitão da seleção brasileira na próxima rodada, contra o Ceará. Para esse duelo contra o Vozão, que preocupa o técnico pela crescente no Brasileirão, o São Paulo também pode contar com a estreia de Juanfran e com as voltas dos lesionados Liziero e Antony.

Opinião: Menon diz que jogo foi decidido pelos laterais

Luis Augusto Simon, o Menon, escreveu em seu blog no UOL Esporte que o clássico de ontem foi decidido nas laterais. Para o bem no São Paulo, que contou com uma grande jornada de Igor Vinícius para anular o venezuelano Yeferson Soteldo. E, no Santos, para o mal, com a improvisação de Lucas Veríssimo no setor.

Até onde o São Paulo pode chegar no Brasileirão?

Resultado parcial

Total de 4550 votos
54,26%
18,02%
23,54%
2,09%
2,09%
Total de 4550 votos

São Paulo