Topo

Futebol


Jogador da MLS cobra congresso americano após atentados no país

Alejandro Bedoya usa microfone de transmissão para cobrar políticos na partida entre Philadelphia Union e DC United - Patrick McDermott/Getty Images
Alejandro Bedoya usa microfone de transmissão para cobrar políticos na partida entre Philadelphia Union e DC United Imagem: Patrick McDermott/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

05/08/2019 12h56

O meio-campista Alejandro Bedoya, que atua pelo clube norte-americano Philadelphia Union, aproveitou o gol que fez na partida contra o DC United no último domingo (04), em jogo válido pela MLS, para mandar um recado ao Congresso do país pedindo mais eficiência no combate à violência armada ocorre no país. No último final de semana, dois massacres aconteceram nos Estados Unidos e deixaram dezenas de pessoas mortas.

Segundo um repórter do jornal "The Washington Post" que estava acompanhando a partida ao lado do gramado, não foi possível entender o que o atleta disse por conta do barulho da torcida. No entanto, a mensagem foi captada em alto e bom som pela Fox Sports 1, que fazia a transmissão do duelo para todo o país.

Após o jogo, Bedoya disse que não havia premeditado a ação, mas que sentiu que deveria se posicionar sobre o tema.

"Não vou sentar e esperar que as coisas aconteçam daqui a 50 anos. Eu quero mudanças agora. Os Estados Unidos são a única nação civilizada em que este tipo de violência envolvendo armas acontece", declarou aos repórteres que acompanhavam a partida.

"O que posso dizer é que mais armas não são a maldita resposta. Vamos ver. Políticos são políticos, eles são apoiados por lobistas e corporações, então existem coisas que precisam ser feitas para mudar a forma que os governantes estão agindo", declarou.

Bedoya, de 32 anos, está em sua quarta temporada no Philadelphia Union. O atleta fez parte do elenco da seleção dos Estados Unidos em mais de 60 oportunidades.

Futebol