Topo

Copa do Mundo Feminina - 2019


Presidente da Fifa quer aumentar Copa feminina para 32 seleções

Gianni Infantino, presidente da Fifa - Franck Fife/AFP
Gianni Infantino, presidente da Fifa Imagem: Franck Fife/AFP

Do UOL, em São Paulo

05/07/2019 16h07

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, pretende aumentar o número de seleções participantes da Copa do Mundo feminina. Em coletiva de imprensa concedida hoje (05), na França, o dirigente disse que espera contar com 32 equipes nos próximos torneios.

Além disso, Infantino anunciou que o valor da premiação para quem levar o título vai dobrar na próxima edição. Quem vencer a competição em 2019 vai receber algo em torno de R$ 114 milhões como prêmio. O plano é elevar a quantia para cerca de R$ 229 milhões em 2023.

"Nós já dobramos o valor em prêmios para esta Copa, mas nós vamos dobrar novamente para a próxima. Eu estou muito confiante de que podemos fazer isso", afirmou.

Segundo o dirigente, a Fifa está empenhada em fortalecer o desenvolvimento do futebol feminino.

"É uma grande coisa o que está acontecendo nesta Copa do Mundo. Mas depois as pessoas esquecem, fazem outras coisas. É nosso trabalho garantir que elas não se esqueçam", disse. "Por isso, eu pedi ao conselho da Fifa para abraçarmos o futebol feminino."

Um dos planos de Infantino para incentivar a modalidade é a implementação de um Mundial de clubes, o que poderia acontecer já em 2020.

"Eu quero propor um Mundial de Clubes para mulheres, começando o quanto antes. Nós só podemos fortalecer o futebol de seleções se fortalecermos os clubes também", analisou.

Outra ideia é criar uma Liga Mundial, similar ao que já acontece na Europa com a Liga das Nações.

Copa do Mundo Feminina - 2019